T-Mobile lança celular com sistema operacional do Google

terça-feira, 23 de setembro de 2008 14:26 BRT
 

NOVA YORK, 23 de setembro (Reuters) - A T-Mobile USA colocará à venda o primeiro celular acionado pelo sistema operacional Android, do Google (GOOG.O: Cotações), por 179 dólares, um pouco mais barato que o popular rival iPhone da Apple (AAPL.O: Cotações), anunciou a operadora de telefonia móvel nesta terça-feira.

O preço é competitivo com o custo básico de 199 dólares do iPhone, por um contrato de dois anos. O novo G1 da T-Mobile é visto como resposta do Google ao iPhone e representa a maior incursão da líder dos serviços de Web no mercado de telefonia móvel até o momento.

O G1, fabricado pela HTC (2498.TW: Cotações), de Taiwan, chegará às lojas em 22 de outubro.

Além do iPhone, o Android concorrerá com o sistema operacional Windows Mobile, da Microsoft, e com o software Symbian, em cuja produtora a Nokia NOK1V.HE detém participação acionária. O aparelho também deve concorrer com o BlackBerry, da Research in Motion (RIM) RIM.TO.

"O G1 não ameaça a Apple, mas o Android tornou a situação mais complicada para as plataformas móveis concorrentes. A maior preocupação aqui é com a Microsoft e a Nokia, se o Google conquistar os corações e mentes dos programadores e das operadoras", disse Geoff Blaber, analista do grupo britânico CCS Insight.

O celular G1 tem uma tela sensível ao toque, um teclado semelhante ao de um computador, conexões Wi-Fi e inclui a maioria dos aplicativos e serviços do Google, como o Google Maps com o recurso StreetView, Gmail e YouTube. Será vendido em três cores: preto, branco e marrom.

O aparelho será lançado em novembro no Reino Unido e em diversos outros países da Europa no primeiro trimestre de 2009.

A Amazon.com anunciou que o software de sua loja digital de música estará carregado no G1, o que permitirá que os usuários procurem, baixem, comprem e executem mais de seis milhões de canções, o que colocaria o aparelho em concorrência direta com o iPhone.

O novo celular oferecerá também o Android Market, por meio do qual os usuários poderão encontrar e baixar aplicativos para melhorar e personalizar seus aparelhos.

O Google, que revelou seus planos quanto ao Android em novembro passado, quer se diferenciar da concorrência ao permitir que múltiplos fornecedores independentes ofereçam aplicativos aos usuários do aparelho.

(Reportagem de Sinead Carew e Yinka Adegoke)