Rússia e Geórgia travam batalha também na mídia

domingo, 10 de agosto de 2008 16:36 BRT
 

Por Conor Sweeney

MOSCOU (Reuters) - Munidas não apenas de armas, mas também de agências de relações públicas, a Rússia e a Geórgia travam uma guerra de propaganda para conquistar a opinião pública nacional e internacional com um fluxo constante de fatos controversos sobre o conflito.

Os combates se iniciaram depois que a Geórgia tentou retomar o controle da Ossétia do Sul, uma pequena província separatista russa, na quinta-feira à noite. A Rússia enviou tanques e tropas para a fronteira com a Geórgia, ao sul, para forçar o recuo das tropas de Tbilisi.

Os dois lados contrataram especialistas em relações públicas baseados em Bruxelas que organizaram uma série de conferências para a imprensa nos últimos dias, com autoridades do alto escalão dos dois países tentando transmitir a própria versão da história primeiro.

A Rússia quer convencer o mundo de seu papel como intervencionista contra um descontrolado presidente da Geórgia, cujas forças foram responsáveis pela limpeza étnica contra o povo da Ossétia do Sul.

A Geórgia, por sua vez, se descreve como um pequeno país lutando contra a grande potência russa e sofrendo uma injusta punição do Kremlim devido às suas aspirações de se tornar uma democracia ocidental e aliada da Otan.

O presidente geórgio, Mikheil Saakashvili, procurou rapidamente convencer o mundo de sua luta em entrevistas para redes de televisão com transmissão mundial, como CNN e BBC, dizendo que seu país estava "em guerra" com a Rússia e apelando por ajuda ocidental.

Mas a manobra não ajudou a esclarecer os principais fatos em disputa.

Cada lado acusa o outro de atingir a população civil, mas os números divulgados de mortos e feridos são muito divergentes.   Continuação...