June 11, 2008 / 12:18 PM / 9 years ago

Obama aposta em conquista de Estados republicanos em novembro

3 Min, DE LEITURA

<p>Obama quer conquistar Estados de maioria republicana . Photo by Jason Reed</p>

Por John Whitesides

SAINT LOUIS, Estados Unidos (Reuters) - O democrata Barack Obama demonstrou agressividade política na escolha dos dois Estados (Virgínia e Carolina do Norte) onde iniciou sua campanha para a eleição presidencial norte-americana de novembro.

Trata-se de dois lugares que há mais de três décadas rejeitam sistematicamente os candidatos democratas. Ao fazer campanha lá, o senador sinaliza a intenção de ampliar o terreno de disputa em relação a pleitos anteriores.

Obama também se volta para Estados do oeste, como Colorado e Nevada, na esperança de desfigurar um mapa eleitoral que em 2000 e 2004 limitou os democratas à perspectiva de conseguir estritamente os 270 votos que lhes dariam a vitória no colégio eleitoral --o que acabou não acontecendo.

"Começar aqui foi uma declaração incisiva. Mas os democratas já acharam que tinham chance de colocar Virgínia e Carolina do Norte no jogo anteriormente", disse Andrew Taylor, cientista político da Universidade Estadual da Carolina do Norte.

Em 2004, o candidato democrata, John Kerry, chegou a escolher um vice da Carolina do Norte (John Edwards), o que não evitou que George W. Bush vencesse ali por 12 pontos percentuais.

"A questão é se as coisas serão diferentes para Obama. Há pelo menos algumas razões para achar que serão", disse Taylor.

Obama aposta numa onda de alistamento eleitoral e na presença maciça de jovens e negros às urnas para alterar algumas fronteiras partidárias demarcadas nas últimas votações.

Seu adversário republicano, John McCain, também pretende mudar esse mapa. No caso dele, a aposta é em Estados com grande eleitorado branco e proletário, uma camada que se mostrou refratária a Obama nas eleições primárias, especialmente em lugares como Michigan e Pensilvânia.

Estados grandes que oscilam entre ambos os partidos, como Ohio e Flórida, devem continuar sendo protagonistas na eleição, mas alguns outros também devem se tornar eleitoralmente mais disputados do que no passado.

"O pessoal de Obama corretamente vê Estados historicamente republicanos onde eles acham que podem ser competitivos", disse o consultor republicano Dan Schnur, que foi assessor de McCain na sua frustrada campanha como pré-candidato em 2000.

"Mas está bastante claro que Obama também perde terreno para McCain em alguns Estados que foram seguros para os democratas no passado", acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below