Cheney discute petróleo com rei saudita

sexta-feira, 21 de março de 2008 12:22 BRT
 

Por Tabassum Zakaria

RIAD (Reuters) - O vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, se reúne na sexta-feira com o rei Abdullah, da Arábia Saudita, para discutir uma forma de estabilizar o mercado do petróleo, cujo preço vem batendo recordes, acima de 100 dólares por barril.

"Tenho certeza de que vamos conversar sobre a necessidade de uma forma cooperativa para avançar em tentar estabilizar este mercado, reduzir a volatilidade no mercado, e servir aos interesses tanto de consumidores quanto de produtores", disse John Hannah, assessor de segurança nacional de Cheney, a jornalistas.

O petróleo vem subindo porque os investidores se refugiam da desvalorização do dólar comprando commodities. Na quinta-feira, os temores de recessão nos EUA levaram o barril novamente abaixo dos 100 dólares.

Em janeiro, o presidente George W. Bush esteve na Arábia Saudita e propôs que a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) aumentasse a produção. Hannah disse que Cheney e Abdullah iriam aprofundar as propostas de Bush.

Durante o encontro, numa fazenda do rei nos arredores de Riad, Cheney deve falar também de suas recentes visitas ao Iraque e ao Afeganistão.

Cheney chegou à propriedade rural vindo de Omã, acompanhado da esposa e da filha, e foi recebido por criados que carregavam incenso. Antes de condecorar Cheney, Abdullah disse ser um velho amigo do vice-presidente.

Falando sob anonimato, uma fonte do governo norte-americano disse que há "claramente coisas em médio e longo prazo que as pessoas podem fazer para tentar aumentar a capacidade global (de produção de petróleo)".

Essa fonte afirmou que "há coisas que os EUA podem fazer..., mas também há coisas que os sauditas, os russos e outros podem fazer para investir na sua capacidade para produzir mais petróleo ao longo do tempo, e na verdade os sauditas vêm fazendo isso há anos."   Continuação...

 
<p>O vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, se re&uacute;ne na sexta-feira com o rei Abdullah, da Ar&aacute;bia Saudita, para discutir uma forma de estabilizar o mercado do petr&oacute;leo, cujo pre&ccedil;o vem batendo recordes, acima de 100 d&oacute;lares por barril. Photo by Reuters (Handout)</p>