Sharp reduz projeção de lucro pela baixa demanda por celular

segunda-feira, 6 de outubro de 2008 16:54 BRT
 

OSAKA, Japão, 6 de outubro (Reuters) - O fabricante japonês de eletrônicos Sharp (6753.T: Cotações) reduziu sua projeção anual de lucro em um terço na segunda-feira, devido às fracas vendas de celulares em seu mercado interno, e agora seus números estão bem abaixo das expectativas do mercado.

A demanda por celulares no Japão se desacelerou este ano, à medida que operadoras de telefonia móvel como a NTT DoCoMo (9437.T: Cotações) reduziam os subsídios pagos aos varejistas para manterem baixos os preços dos celulares.

A Sharp produz componentes essenciais de seus celulares por conta própria. A estratégia maximiza a lucratividade de suas operações de telefonia móvel quando a demanda é forte, mas torna a empresa vulnerável a qualquer desaceleração no mercado.

A Sharp concorre com a Panasonic (6752.T: Cotações) e a Fujitsu (6702.T: Cotações) no setor de telefonia móvel japonês.

A empresa agora espera que seu lucro operacional atinja os 130 bilhões de ienes (1,25 bilhão de dólares) no ano fiscal que se encerra em março de 2009, ante projeção inicial de 195 bilhões de ienes.

A mais recente projeção se compara a uma estimativa de consenso de 170,1 bilhões de ienes obtidas pela Reuters Estimates em pesquisa junto a 19 analistas.

A receita da Sharp também está em queda devido a tendências desfavoráveis no mercado de painéis de LCD. A companhia vende painéis também a outros fabricantes de televisores, além de montá-los em seus próprios aparelhos.

"A demanda por TVs de LCD deve se acelerar ainda mais no futuro. Mas sem dúvida as condições econômicas atuais deprimirão temporariamente os sentimentos dos consumidores", disse Toshishige Hamano, vice-presidente executivo da Sharp, em entrevista coletiva.

A empresa ocupava o terceiro posto no mercado mundial de TVs LCD, em companhia da LG Electronics (066570.KS: Cotações), no primeiro semestre de 2008, atrás da Samsung Electronics (005930.KS: Cotações) e da Sony (6758.T: Cotações), de acordo com o grupo de pesquisa DisplaySearch.

"Não considero que a revisão surpreenda. Com a desaceleração econômica e o ambiente empresarial adverso, isso parece bastante natural", disse Mitsushige Akino, administrador geral de fundos na Ichiyoshi Investment Management.

(Reportagem de Yumi Horie e Kiyoshi Takenaka)