23 de Setembro de 2008 / às 19:07 / 9 anos atrás

Aécio prega acordo entre PSDB e DEM em SP por projeto nacional

BELO HORIZONTE, 23 de stembro (Reuters) - O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), defendeu nesta terça-feira o fim das disputas entre tucanos e democratas em São Paulo em nome de um projeto de governo do país pelo PSDB.

Segundo o governador, cabe às lideranças no Estado encontrar o caminho para um acordo, independentemente do resultado das urnas em outubro na capital paulista.

“A minha esperança é que as lideranças paulistas saibam colocar adiante o projeto do PSDB”, disse Aécio, que, junto com o governador de São Paulo, José Serra, é um dos principais candidatos à sucessão presidencial de 2010.

Essa tarefa, no entender de Aécio, depende, sobretudo, das lideranças mais antigas do partido em São Paulo.

“É preciso, sobretudo dos mais maduros, mais experientes líderes políticos em São Paulo, serenidade nesta hora. Essa briga interna, essa disputa de vaidades, não pode ter lugar num partido que tem um projeto tão ousado, que é o de governar o Brasil”, salientou.

Aécio afirmou que o PSDB é quem tem melhores condições de construir um projeto novo de país, “moderno, ousado, que passe pelas reformas, que fale de gestão pública eficiente, que não comemore apenas o êxito da gravidade em razão do boom econômico internacional que vivemos até aqui.”

O governador mineiro disse que torce para o candidato tucano à prefeitura de São Paulo, Geraldo Alkmin, sair vencedor das urnas, mas defende um acordo com os democratas ainda em outubro.

“No segundo turno, qualquer que seja o resultado, o PSDB e o DEM têm que estar juntos por uma razão fundamental: é o Brasil que está em jogo, não a vaidade desse ou daquele ator político”, afirmou.

ATORES SECUNDÁRIOS

As declarações de Aécio foram dadas nas obras do Centro Administrativo de Minas, ao lado do arquiteto Oscar Niemeyer, autor do projeto. O governador condenou o acirramento dos ânimos na capital paulista, principalmente após ataques de Alckmin ao prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, que provocaram atritos internos no PSDB.

“Vejo muitos atores, inclusive secundários da vida política do partido, que sequer detêm mandato, que nunca disputaram eleição, entrando numa discussão que, repito, não atende ao interesse maior do partido”, afirmou, sem citar nomes, mas em referência aparente às declarações do secretário municipal de Governo de São Paulo, Clóvis Carvalho. Partidário de Serra, Carvalho acusou Alckmin de oportunista após ataques a Kassab.

“O governador Serra tem as suas dificuldades e não cabe a mim opinar sobre elas. Agora é hora de serenidade”, insistiu Aécio, defendendo que Kassab e Alckmin façam suas campanhas sem perder a perspectiva futura.

“Espero que no pós-eleição, qualquer que seja o resultado, estejamos juntos para enfrentar o PT.”

Reportagem de Marcelo Portela, Edição de Mair Pena Neto

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below