EUA acham traços de urânio em tubos da Coréia do Norte

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007 12:28 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Cientistas norte-americanos descobriram traços de urânio em tubos de alumínio da Coréia do Norte, o que parece contradizer a declaração dada pelo país sobre não conduzir um programa secreto de enriquecimento de urânio, afirmou o jornal The Washington Post na sexta-feira.

As autoridades dos EUA estavam preocupadas com a possibilidade de a divulgação dessa informação complicar os esforços diplomáticos realizados atualmente junto ao país asiático, disse o Post, citando como fonte de suas informações diplomatas norte-americanos.

Apesar de reconhecer a existência de um programa de armas nucleares equipadas com plutônio, a Coréia do Norte sempre negou as acusações feitas pelos EUA de que teria realizado atividades envolvendo o urânio.

O governo norte-americano tenta garantir que o país asiático, um dos mais fechados do mundo, divulgue detalhes sobre todos os seus programas nucleares.

E a Coréia do Norte prometeu fornecer uma declaração do tipo até o dia 31 de dezembro como parte de um acordo mais amplo por meio do qual aceitou abrir mão de seu programa de armas nucleares em troca de benefícios econômicos e diplomáticos a serem fornecidos pelos EUA e por outros países.

Os negociadores norte-americanos serão agora obrigados a exigir uma explicação detalhada sobre a utilização dos tubos pela Coréia do Norte, que afirmou ter adquirido milhares deles para uso convencional, segundo o Post.

O governo dos EUA disse que os tubos serviam de prova para o fato de que os norte-coreanos mantêm um programa clandestino de armas equipadas com urânio. Os tubos poderiam ter sido usados como invólucro para as centrífugas responsáveis por enriquecer o urânio.