Militares encontram cerca de 100 corpos em cova no Iraque

sábado, 8 de março de 2008 10:30 BRT
 

BAGDÁ (Reuters) - Forças de segurança do Iraque encontraram cerca de cem corpos em adiantado estado de decomposição em uma cova coletiva ao norte de Bagdá, informou o exército dos EUA no sábado, em um dos maiores achados do tipo no país em meses.

Iraquianos e norte-americanos disseram ainda não ter esclarecido quem seria responsável pela cova perto de Khali, a 80 quilômetros ao norte de Bagdá, ou quando as vítimas foram mortas.

"Relatórios iniciais indicam que possa conter os restos de cerca de cem pessoas", disse o porta-voz do exército dos EUA, major Winfield Danielson.

A polícia iraquiana afirmou suspeitar que as vítimas tenham sido mortas pouco tempo depois da invasão liderada pelos EUA, em 2003, para derrubar Saddam Hussein.

Dezenas de milhares de iraquianos foram mortos em conflitos sectários entre a maioria xiita e a minoria sunita desde então. Muitas mortes também ocorreram por conta de uma insurgência em grande parte comandada por árabes sunitas.

"As ossadas aparentam estar na cova por muito tempo, e nós ainda não determinamos quem pode ser responsável pelas mortes e enterros", disse Danielson.

Covas coletivas são frequentemente encontradas no Iraque, mas nenhuma se aproximou da encontrada em Khali nos últimos meses. Forças dos EUA e do Iraque frequentemente responsabilizam a sunita Al Qaeda pelos assassinatos em massa.

No mês passado, uma cova com 50 corpos foi encontrada perto de Samarra, 100 quilômetros ao norte de Bagdá, durante uma caçada a militantes da Al Qaeda.

Covas coletivas abertas durante o governo de Saddam Hussein também foram encontradas, apesar de estarem em sua maioria em áreas desertas do sul do Iraque.   Continuação...