Olmert promete "guerra" e 7 palestinos morrem em Gaza

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 21:17 BRST
 

Por Nidal Al Mughrabi

GAZA (Reuters) - Bombardeios aéreos israelenses mataram pelo menos sete palestinos, inclusive uma mãe e seu filho, na quinta-feira na Faixa de Gaza, enquanto o primeiro-ministro Ehud Olmert prometia uma "guerra" para conter os foguetes palestinos disparados contra Israel.

A violência levou os líderes palestinos a alertarem que o recém-retomado processo de paz está ameaçado, uma semana depois da visita do presidente George W. Bush para promovê-lo.

O grupo islâmico Hamas disse que dois de seus militantes morreram e três outros ficaram feridos na última onda de bombardeios. Um ataque prévio, contra um carro na Faixa de Gaza, havia matado pelo menos um militante da Jihad Islâmica, além de uma mãe e seu filho que estavam numa carroça, segundo fontes hospitalares. Um terceiro bombardeio matou um líder militante e sua esposa.

Quase cem foguetes foram lançados nos últimos dois dias da Faixa de Gaza, que é controlada pelo Hamas, contra o sul de Israel. Antes, Israel havia realizado seus ataques mais agressivos nos últimos meses na região, matando 18 palestinos.

"Uma guerra está em curso no sul, todo dia, toda noite", disse Olmert em discurso em Tel Aviv. "Não podemos e não vamos tolerar estes disparos incessantes contra cidadãos israelenses, então vamos continuar operando. Esta guerra não vai parar."

Olmert acrescentou que Israel tenta evitar vítimas entre os civis, e não deu indicações de que ordenaria uma invasão terrestre da Faixa de Gaza, o que autoridades israelenses temem que provoquem muitas baixas em ambos os lados.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, que é da facção Fatah e só domina a Cisjordânia, condenou as operações israelenses em Gaza e a prisão de militantes na Cisjordânia ocupada, o que ele qualificou de "tapa na cara" contra os esforços de Bush para conseguir a assinatura de um tratado de paz até o final do ano.

Olmert se disse comprometido em manter o processo de paz "sem hesitação", mas foi vago quanto a prazos para o tratado, afirmando que pretende neste ano negociar "entendimentos" que levem à criação do Estado palestino.   Continuação...

 
<p>Primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, faz discurso durante cerim&ocirc;nia em Tel Aviv. Olmert prometeu 'guerra' contra o lan&ccedil;amento de foguetes por militantes palestinos contra o territ&oacute;rio israelense. Photo by Pool</p>