Na Páscoa, papa clama por paz no Tibet, no Iraque e em Darfur

domingo, 23 de março de 2008 12:39 BRT
 

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 pediu em sua mensagem de Páscoa no domingo pelo fim da injustiça, do ódio e da violência ao redor do mundo, incluindo Tibet, Iraque e Darfur.

O papa, que completa 81 anos no mês que vem, celebrou uma missa pascal para dezenas de milhares de pessoas sob chuva na praça São Pedro, enquanto cristãos em todo o mundo comemoravam a ressurreição de Cristo.

A missa de domingo ocorreu horas depois de uma vigília de Páscoa na noite de sábado, onde em um gesto surpreendente o papa batizou o muçulmano Magdi Allam, 55 anos, um jornalista e crítico ferrenho do extremismo islâmico que nasceu muçulmano e se converteu católico.

O vento e a chuva que varreram a maior parte da Europa não pouparam Roma, enquanto o pontífice alemão, vestindo trajes dourados, rezava a missa para uma multidão sob guarda-chuvas.

Em sua mensagem "Urbi et Orbi" (à cidade e ao mundo), que ocorre duas vezes ao ano, dirigida após a missa, o papa condenou "as muitas chagas que continuam a desfigurar a humanidade."

'Esses são os flagelos da humanidade, que ocorrem em todo canto do planeta, apesar de frequentemente ignorados e às vezes deliberadamente ocultos; chagas que torturam as almas e os corpos de inúmeros de nossos irmãos e irmãs", disse ele.

O papa conclamou "um compromisso ativo com a justiça... em áreas ensangüentadas por conflitos e onde quer que a dignidade da pessoa humana continue a ser desprezada e pisoteada."

"Espera-se que estes sejam precisamente os lugares onde os gestos de moderação e perdão devam crescer", disse ele, especificamente mencionando Darfur, Somália, a terra santa, no Oriente Médio, Iraque, Líbano e Tibet.   Continuação...