Polícia prende 101 candidatos em todo o país, diz TSE

domingo, 5 de outubro de 2008 17:47 BRT
 

BRASÍLIA, 5 de outubro (Reuters) - A polícia prendeu 101 candidatos até as 16h30, informou neste domingo Carlos Eduardo Caputo Bastos, ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo a Justiça Eleitoral, os crimes mais cometidos por esses candidatos foram boca de urna (63) e compra de votos (12), seguidos de divulgação de propaganda irregular e transporte ilegal de eleitores -- ambos com 10 prisões cada.

Com 25 detidos, o maior número de prisões de candidatos ocorreu em Minas Gerais. Em seguida, ficou o Espírito Santo, com 12. No Rio de Janeiro, quatro foram presos, enquanto em São Paulo nenhum incidente do tipo foi verificado.

Já as detenções de não candidatos somaram 707. Para Caputo Bastos, se considerado o tamanho do país, os números são relativamente pequenos.

"A situação está absolutamente tranqüila", afirmou o ministro, em entrevista a jornalistas.

Ao todo, 2.511 ocorrências foram registradas em todo o Brasil. Caputo Bastos não soube esclarecer se as tropas federais enviadas a 460 municípios participaram dessas prisões ou ocorrências.

O ministro do TSE revelou também que 1.898 urnas eletrônicas foram substituídas, 0,51 por cento do total. Em Goiânia (GO), 60 equipamentos apresentaram problemas em seus cartões de memória.

O secretário de Tecnologia da Informação do tribunal, Giuseppe Janino, que também participou da entrevista coletiva, garantiu que os votos que já haviam sido computados não foram perdidos. "Os dados registrados de forma eletrônica são sempre recuperados", disse Janino.

Apesar do problema, acrescentou Caputo Bastos, o prazo de votação não será prorrogado em Goiânia.

(Reportagem de Fernando Exman e Ana Paula Paiva; Edição de Mair Pena Neto)