Irã se diz esnobado por potências mundiais

segunda-feira, 27 de outubro de 2008 17:54 BRST
 

Por Louis Charbonneau

NAÇÕES UNIDAS, 27 de outubro (Reuters) - O embaixador do Irã na ONU disse na sexta-feira que a proposta do país para uma negociação nuclear sem pré-condições foi esnobada pelas seis potências mundiais envolvidas no processo.

Em discurso na Assembléia Geral da ONU, Mohammad Khazaee disse que um pequeno grupo de países continua violando o direito internacional ao insistir que o Irã suspenda seu programa de enriquecimento de urânio.

"O Grupo 5+1 ainda não forneceu sua resposta ao pacote proposto pelo Irã", disse ele, referindo-se à proposta entregue em maio aos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China) e à Alemanha.

"A política de uns poucos países em insistirem na suspensão como pré-condição para negociações beira a relação zero com as realidades e é uma política irracional e fracassada", disse Khazaee.

Ele disse que, em vez de impor mais penalidades econômicas a Teerã, que já sofreu três pacotes de sanções da ONU, "deveria ser buscada... uma solução baseada nas realidades".

O Ocidente suspeita que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares. Teerã diz que seu programa nuclear está voltado apenas para a geração de eletricidade sem fins militares.

A proposta do Irã foi uma resposta ao pacote de incentivos econômicos e políticos em troca da suspensão prévia do enriquecimento. Teerã não queria ter de parar suas atividades para negociar.

Em maio, os EUA e as potências da Europa Ocidental lamentaram a resposta do Irã, enquanto a Rússia a qualificou como frustrante. Apesar disso, nunca houve uma rejeição formal.

Na sua contra-proposta, o Irã propunha a cooperação para "combater ameaças comuns de segurança," como o terrorismo, o militarismo e as drogas, e repetia a sugestão da criação de consórcios internacionais de urânio, sempre rejeitada pelo Ocidente.