Equador une-se à Indonésia em apelo por "taxa de preservação"

segunda-feira, 26 de novembro de 2007 11:31 BRST
 

JACARTA (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, manifestou apoio na segunda-feira aos apelos da Indonésia para que os países em desenvolvimento recebam dinheiro por preservarem suas florestas como parte dos esforços para reduzir a emissão de gases do efeito estufa.

Segundo Correa, o Equador e a Indonésia, países que possuem alguns dos maiores índices de biodiversidade do mundo, acertaram adotar uma mesma postura nas negociações da conferência sobre mudanças climáticas marcada para acontecer em Bali, no próximo mês.

A conferência acontecerá sob o comando da Organização das Nações Unidas (ONU).

"Precisamos de um princípio de justiça para enfrentar esse tipo de questão. Ou seja, precisamos compensar os países que estão oferecendo esse tipo de benefício, de benefício ambiental, que possui um imenso valor, mas não um valor monetário", afirmou Correa em Jacarta, ao lado do presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono.

O governo equatoriano demandou dinheiro dos países industrializados em troca de não explorar os campos de petróleo da Amazônia.

A Indonésia, que possui 10 por cento da vegetação tropical do mundo, afirma que precisa de incentivos, incluindo o pagamento de uma taxa de 5 a 20 dólares por hectare, para preservar suas florestas.

(Reportagem de Muklis Ali)