ANÁLISE-Cresce cotação de Romney para vice na chapa de McCain

terça-feira, 15 de julho de 2008 10:14 BRT
 

Por Jason Szep

BOSTON (Reuters) - Certa vez, o senador John McCain disse que se meter em disputas políticas contra Mitt Romney era como participar "de uma luta com um porco": "Ambos se sujam, e o porco adora."

Isso foi em janeiro, quando ambos concorriam à indicação do Partido Republicano dos EUA à Casa Branca, revelando uma profunda hostilidade pessoal mútua.

Seis meses depois, Romney é uma aposta cada vez mais plausível como candidato a vice de McCain. Ele é um empreendedor de sucesso, cujas credenciais numa época de crise econômica podem ajudar a contrabalançar as supostas fraquezas do candidato republicano neste assunto.

Some-se a isso o fato de que o milionário ex-governador de Massachusetts agregaria à campanha uma notável capacidade de arrecadar doações, uma boa presença televisiva, estilo empresarial e uma forte conexão com o eleitorado republicano mais conservador.

Aos 61 anos, o grisalho e sempre penteado Romney também levaria uma dose de jovialidade à campanha de McCain, que aos 71 pode se tornar o norte-americano mais velho já eleito para um primeiro mandato presidencial. O adversário dele, o democrata Barack Obama, tem 46.

"(Romney e McCain) são dois tipos diferentes de pessoas. Há claramente muita tensão entre os dois", disse Julian Zelizer, professor de História e Assuntos Públicos da Universidade Princeton.

"Mas isso nunca impede ninguém de formar uma aliança se eles puderem vencer. E dadas as chances (complicadas) que os republicanos enfrentam e os desafios que McCain enfrenta para vencer, se Romney lhe trouxer aquele patrimônio que muda suas chances, aí acho que McCain estaria mais do que disposto a formar a aliança", acrescentou.

Na noite de segunda-feira, Romney, que sempre qualifica pejorativamente McCain como "liberal", inaugurou um comitê do ex-rival em Michigan, um Estado estratégico na eleição de novembro.

Romney é filho de um ex-governador de Michigan e venceu as primárias republicanas locais, em janeiro.

Em evento de arrecadação no Novo México, McCain disse na segunda-feira que ele e sua esposa, Cindy, se tornaram "bons amigos" do casal Mitt e Ann Romney. O candidato tratou tal amizade como um símbolo da unidade republicana contra Obama.