Novas sanções da ONU serão 'custosas' para Ocidente, diz Irã

domingo, 24 de fevereiro de 2008 14:42 BRT
 

Por Parisa Hafezi

TEERÃ (Reuters) - O Irã avisou as potências ocidentais no domingo que elas seriam as mais prejudicadas caso aprovem, via Organização das Nações Unidas (ONU), novas sanções contra o país islâmico.

O governo iraniano não conseguiu convencer as potências mundiais de que seu programa nuclear possui fins meramente pacíficos. A Grã-Bretanha e a França disseram ter esperanças de que o Conselho de Segurança da ONU vote nesta semana sobre uma terceira rodada de sanções.

"Algumas potências ocidentais estão optando pelo caminho errado e estão aprovando resoluções contra o Irã que serão custosas para elas", afirmou Javad Vaeedi, vice-chefe de negociações do Irã para o setor nuclear. As declarações de Vaeedi, que não deu maiores detalhes, foram divulgadas pela agência de notícias oficial do Irã, a Irna.

O Conselho de Segurança exige que o país suspenda seu programa de enriquecimento de urânio, a porção das atividades nucleares do Irã que mais preocupa as potências ocidentais.

O urânio enriquecido pode ser usado como combustível para usinas atômicas e, potencialmente, para a fabricação de bombas. O Irã recusa-se a cumprir a exigência.

O governo iraniano afirma estar buscando dominar a tecnologia nuclear a fim de fabricar combustível para uma rede de usinas nucleares que pretende construir. Agindo assim, o país conseguiria exportar uma parte maior de suas grandes reservas de petróleo e gás natural.

O Irã repetiu várias vezes que continuará com suas atividades nucleares.

"O Irã adotará as medidas que julgar necessárias para responder ao próximo passo do Ocidente", afirmou Vaeedi.   Continuação...