Fogaça sai às ruas para evitar erro de Rigotto em 2006

terça-feira, 9 de setembro de 2008 18:29 BRT
 

Por Sinara Sandri

PORTO ALEGRE (Reuters) - Um comício no centro de Porto Alegre, que reuniu cerca de 5 mil pessoas na segunda-feira à noite, inaugurou a campanha à prefeitura da capital gaúcha do José Fogaça (PMDB) exclusivamente candidato, que deixou a prefeitura para não repetir o erro do ex-governador Germano Rigotto na eleição estadual de 2006.

Naquela eleição, Rigotto, também do PMDB, permaneceu no cargo e não conseguiu sequer passar para o segundo turno, deixando a disputa entre Yeda Crusius (PSDB) e Olívio Dutra (PT).

Durante os primeiros 30 dias de campanha, Fogaça acumulou uma agenda de prefeito e de candidato, reservando apenas as noites e almoços para atividades eleitorais. Apesar do bom desempenho nas pesquisas de intenção de voto, o partido não pretende repetir a traumática experiência da última eleição estadual.

"A derrota do Rigotto serve de alerta. Fogaça poderia ter ficado (como prefeito), mas decidimos pela licença", disse o deputado estadual e coordenador da campanha de Fogaça, Luiz Fernando Záchia.

Com o favoritismo confirmado pelo crescimento constante nas pesquisas de intenção de voto, Fogaça entra na fase final da campanha apostando no contato direto com os eleitores.

"A licença é parte da nossa estratégia e vai garantir que Fogaça possa fazer campanha de rua", disse Záchia, acrescentando que o peemedebista fará grandes caminhadas que devem ser "produtivas" e permitir que ele "converse com as pessoas."

A largada para esta nova fase foi dada no comício no centro de Porto Alegre, com lideranças do PMDB, PDT e PTB, partidos que compõe a coligação que apóia Fogaça.

José Fogaça está licenciado até 5 de outubro. Neste período, o vice-prefeito Eliseu Santos assume o cargo.   Continuação...