Estudantes e policiais se enfrentam novamente na Venezuela

quinta-feira, 1 de novembro de 2007 21:44 BRST
 

Por Fabián Andrés Cambero

CARACAS, 1o de novembro (Reuters) - Uma passeata estudantil em Caracas contra uma proposta governamental de reforma constitucional terminou na quinta-feira em confrontos entre manifestantes e policiais, que dispersaram o protesto com gás lacrimogêneo e balas de borracha.

TVs mostraram grupos de jovens derrubando uma barreira de segurança e lançando-a contra o primeiro cerco policial, depois de chegar até o limite permitido nos arredores da sede do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), no centro da capital.

Cobertos com escudos, a tropa de choque reagiu com jatos d'água e gás lacrimogêneo, o que fez a manifestação com milhares de pessoas recuar.

Na semana passada houve incidentes parecidos numa passeata em direção ao Parlamento, também contra a reforma.

Os choques da quinta-feira se prolongaram pela avenida Bolívar (centro) e chegaram às portas da Universidade Central, onde os manifestantes se esconderam, aproveitando que a autonomia universitária impede a polícia de entrar ali.

Os incidentes deixaram alguns feridos leves.

Os dirigentes estudantis que convocaram a manifestação pretendiam entregar às autoridades eleitorais um documento pedindo o adiamento da consulta popular sobre a reforma constitucional planejada pelo presidente Hugo Chávez.

Uma comissão de estudantes pôde chegar ao CNE, depois de ser atacado com objetos atirados por simpatizantes do governo, para entregar a petição e conversar com dirigentes do órgão.   Continuação...