11 de Fevereiro de 2008 / às 21:04 / 10 anos atrás

Obama ganha impulso; Hillary nega crise na campanha

Por John Whitesides

WASHINGTON (Reuters) - Depois de um fim de semana repleto de vitórias, Barack Obama chega embalado às próximas disputas pela indicação democrata à Presidência dos EUA, mas sua adversária Hillary Clinton minimizou as derrotas e manifestou confiança.

Obama é favorito novamente na terça-feira em Virginia, Maryland e no Distrito de Columbia (onde fica Washington, a capital), mas não tem condições de já assegurar a candidatura para a eleição de 4 de novembro.

Os três Estados elegem 168 delegados para a convenção nacional de agosto. As urnas em Virginia fecham às 19h (20h em Brasília). Em Maryland e na capital, a votação dura até uma hora depois.

Obama venceu no fim de semana nos Estados do Maine, Louisiana, Nebraska e Washington, abrindo uma ligeira vantagem em termos de delegados vinculados à sua candidatura.

Ele agora soma 943 delegados comprometidos, contra 895 de Hillary, segundo contagem da MSNBC. Para assegurar a indicação, um candidato precisa de 2.025 delegados.

A conta não inclui os chamados “superdelegados”, membros da cúpula partidária ou detentores de cargos eletivos, que podem votar em quem preferirem.

No domingo, Hillary substituiu sua coordenadora de campanha, Patty Solis Doyle, pela antiga assessora Maggie Williams. Mas ela negou que haja problemas na campanha.

“Se vocês olharem nos Estados que vêm pela frente, estou muito confiante”, disse a senadora a jornalistas em frente a uma fábrica da General Motors em White Marsh, Maryland.

Mas Hillary dedicou pouca atenção aos três Estados que votam na terça-feira e aos da semana que vem (Wisconsin e Havaí, onde Obama também é favorito), preferindo em vez disso se concentrar em Texas e Ohio, Estados com muitos delegados, que votam em 4 de março.

“São Estados que representam o eleitorado amplo deste país. Representam o tipo de eleitores que terão de ser convencidos e ganhos na eleição geral”, disse Hillary.

Na segunda-feira, Hillary e Obama fizeram campanha nos arredores da capital. Fontes políticas disseram que Obama ainda pretendia se reunir com o ex-senador John Edwards, que recentemente desistiu da disputa presidencial, mas ainda não apoiou nenhum dos candidatos restantes. Na quinta-feira, Hillary tentou cortejar Edwards na Carolina do Norte.

Hillary se diz a mais preparada para derrotar o senador John McCain, franco favorito a receber a indicação entre os republicanos, apesar de ter perdido em dois Estados no fim de semana para o ex-governador Mike Huckabee.

“Temos de começar a imaginar bem agora o que será preciso para que nosso indicado fique cabeça-a-cabeça com John McCain em questões de segurança nacional, defesa e segurança doméstica. Sinto-me totalmente confortável ficando aqui frente a frente com John McCain”, declarou a ex-primeira-dama.

McCain ainda enfrenta a desconfiança da ala mais conservadora dos republicanos, mas apesar disso já conquistou mais de 700 dos 1.191 delegados necessários para garantir a indicação. Huckabee mal passa de 200.

“Nunca esperei uma votação unânime, embora certamente gostaria de tê-la. Mas acho que vamos continuar a ganhar primárias em todo o país, inclusive amanhã. Tenho grande confiança nisso”, disse McCain a jornalistas em Maryland.

Reportagem adicional de Caren Bohan, Jeff Mason e Andy Sullivan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below