Venezuelano da maleta esteve na Casa Rosada, diz testemunha

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 15:17 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Uma testemunha que se apresentou diante da Justiça da Argentina afirmou que um empresário venezuelano acusado de tentar ingressar no país com 800 mil dólares sem declará-los, provocando um escândalo internacional, esteve na sede do governo argentino dias depois do incidente.

O caso surgiu em agosto, quando o venezuelano Guido Antonini Wilson foi flagrado com uma maleta cheia de dinheiro tentando entrar de forma ilegal no país após ter desembarcado em Buenos Aires saído de um avião alugado pelo governo argentino.

Na semana passada, o caso ganhou um novo capítulo em Miami, local da residência de Antonini Wilson, quando foram detidos quatro homens acusados de agirem como agentes disfarçados do governo venezuelano.

A prisão dos suspeitos aconteceu após uma investigação ter revelado que o dinheiro destinava-se à campanha presidencial de Cristina Kirchner, na Argentina.

A promotora argentina encarregada da investigação realizada dentro do país afirmou na quinta-feira que a testemunha, uma assistente do funcionário responsável por fretar o avião no qual chegou Antonini Wilson, declarou que o venezuelano tinha comparecido à Casa Rosada dois dias após haver sido flagrado com a maleta.

"Confirmo que sim, que essa declaração consta do depoimento dessa senhorita sobre a presença de Antonini Wilson no dia 6 (de agosto) na sede do governo", afirmou à rádio Del Plata a promotora María Luz Rivas Diez.

"Aparentemente, o suspeito reuniu-se com outras pessoas, durante algo parecido com uma celebração e durante um evento oficial, assinando documentos relativos a convênios firmados com a Venezuela", acrescentou Rivas Diez sobre a declaração da testemunha, que também viajou no avião.

(Por Damián Wroclavsky)