Em evento religioso, Bush lembra do seu alcoolismo

terça-feira, 29 de janeiro de 2008 22:49 BRST
 

Por Ayeshga Rascoe

BALTIMORE (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, fez na terça-feira uma reflexão sobre sua luta contra o alcoolismo, admitindo que já bebeu demais. A declaração ocorreu em meio a uma defesa de Bush aos programas religiosos que são uma das marcas mais polêmicas de seu governo.

Bush, que parou de beber aos 40 anos de idade, visitava o programa Jericó, dirigido pelos Serviços da Comunidade Episcopal de Maryland, que ajuda ex-detentos a se reintegrarem à força de trabalho.

A visita era parte de um esforço para promover uma de suas prioridades internas --verbas governamentais para que organizações de cunho religioso ajudem suas comunidades.

"A dependência é dura de superar. Como vocês podem lembrar, bebi demais em uma época da minha vida", disse Bush, que sempre declara que a religião se tornou uma parte mais importante da sua vida desde que ele largou o álcool.

"Entendo os programas de caráter religioso. Entendo que às vezes você pode encontrar a inspiração de um poder mais elevado para resolver um problema de dependência", afirmou.

Bush acrescentou que programas de cunho religioso, como o Jericó, não precisam ter de abandonar seu caráter espiritual para receber verbas públicas.

Críticos da iniciativa se opõem ao uso de dinheiro dos contribuintes para grupos religiosos, porque isso viola a separação entre religião e governo.

Alguns defensores do programa, por outro lado, reclamam que Bush não liberou toda a verba que havia prometido. Um estudo do Instituto Rockefeller concluiu que o número de organizações de cunho religioso que receberam verbas federais subiu de 665 em 2002 para 762 em 2004.

Em seu discurso anual do Estado da União, na noite de segunda-feira, Bush pediu ao Congresso que garanta verbas permanentes para essas organizações religiosas.