9 de Novembro de 2007 / às 14:38 / 10 anos atrás

Ex-premiê Bhutto é liberada da prisão domiciliar no Paquistão

<p>A l&iacute;der oposicionista paquistanesa Benazir Bhutto foi liberada da pris&atilde;o domiciliar, horas depois de ser impedida de deixar sua casa, em Islamabad, para comandar uma manifesta&ccedil;&atilde;o contra a imposi&ccedil;&atilde;o do estado de emerg&ecirc;ncia no pa&iacute;s. Foto de Bhutto em Karachi, 6 de novembro. Photo by Zahid Hussein</p>

Por Kamran Haider

ISLAMABAD (Reuters) - A líder oposicionista paquistanesa Benazir Bhutto foi liberada da prisão domiciliar na noite de sexta-feira, horas depois de ser impedida de deixar sua casa, em Islamabad, para comandar uma manifestação contra a imposição do estado de emergência no país.

"A ordem de detenção foi retirada", disse o comissário interino da polícia de Islamabad, Aamir Ali Ahmed.

Depois de ser impedida de sair, Bhutto gritou para seus simpatizantes, por detrás de uma barricada de arames farpados, que "o governo está paralisado".

"Se (o presidente Pervez Musharraf) restaurar a Constituição, deixar a farda, abandonar o cargo de chefe do Exército e anunciar uma eleição até 15 de janeiro, então tudo bem", afirmou.

Musharraf, que assumiu o poder por meio de um golpe em 1999, disse na quinta-feira que haverá eleições até 15 de fevereiro, cerca de um mês após o prazo inicial.

Ele declarou também que vai deixar seu posto militar e que tomará posse como civil para um novo mandato assim que os juízes recém-nomeados por ele para a Suprema Corte rejeitarem os recursos contra sua reeleição.

O presidente impôs estado de emergência no sábado, e desde então demitiu a maioria dos juízes e colocou sob prisão domiciliar várias autoridades (inclusive o até então presidente da Suprema Corte, Iftikhar Chaudhry) e dirigentes da oposição.

A Casa Branca disse na sexta-feira que continua preocupada com a manutenção do estado de emergência e com "as restrições às liberdades básicas" no Paquistão.

"A ex-primeira-ministra Bhutto e outros membros de partidos políticos devem ter permitida a liberdade de ir e vir, e todos os manifestantes (devem ser) libertados", disse Gordon Johndroe, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca.

Um porta-voz do Ministério do Interior disse que 2.500 pessoas foram detidas desde a declaração do estado de emergência. Já o Partido do Povo do Paquistão, de Bhutto, diz que 5.000 ativistas seus foram apanhados nos últimos dois dias.

A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes em Rawalpindi, cidade vizinha à capital, onde Bhutto pretendia comandar uma manifestação. Barricadas de arame farpado foram montadas em todas as vias de acesso ao local do protesto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below