Ex-ministro retira apoio e enfraquece governo de Prodi na Itália

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 19:27 BRST
 

Por Stephen Brown

ROMA (Reuters) - O primeiro-ministro italiano, Romano Prodi, enfraqueceu-se ainda mais por causa de seu ministro da Justiça, que renunciou por suspeita de corrupção e anunciou que seu pequeno partido vai passar a oferecer apenas apoio "externo" ao governo.

Clemente Mastella, cujo pequeno partido católico garante com seus três senadores a maioria da coalizão no Senado, renunciou na quarta-feira, depois de ele e a esposa, presidente do Conselho de uma região no sul do país, serem indiciados por corrupção.

Mastella vinha se desentendendo com alas esquerdistas do governo, e sua permanência já era incerta.

"Vamos dar apoio externo. E vamos fazer exigências sem aceitar concessões, como fizemos até agora", disse Mastella, de 60 anos, acrescentando que os dirigentes do seu partido Udeur vão debater em fevereiro o futuro da sua relação com a coalizão.

"Hoje não estamos no governo, amanhã veremos", disse ele em entrevista coletiva na Campânia, região em torno de Nápoles, sua base eleitoral.

No Parlamento, Prodi convidou Mastella a retomar suas funções depois do processo judicial. O próprio primeiro-ministro assumiu interinamente a pasta.

Prodi parece confiante em preservar o apoio de Mastella no Parlamento, pois "já contou com o apoio de seu partido no passado e vai contar no futuro".

A oposição de centro-direita pediu novamente a renúncia de Prodi. "Primeiro-ministro, o tempo de seu governo acabou!", disse o deputado Elio Vito, do partido Forza Italia, liderado pelo ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

 
<p>L&iacute;der do partido italiano Udeur, Clemente Mastella, fala durante entrevista coletiva em Benevento. Mastella, que renunciou ao cargo de ministro da Justi&ccedil;a em meio a acusa&ccedil;&otilde;es de corrup&ccedil;&atilde;o, enfraqueceu ainda mais o governo do primeiro-ministro italiano Romano Prodi na quinta-feira, ao anunciar a sa&iacute;da de seu partido da coaliz&atilde;o que comanda o pa&iacute;s. Photo by Stringer</p>