Falha mecânica provocou acidente com avião em Londres

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 19:39 BRST
 

Por Paul Majendie e Jeremy Lovell

LONDRES (Reuters) - Investigadores disseram na sexta-feira que o acidente da véspera no aeroporto de Heathrow ocorreu porque os motores de um Boeing 777 da British Airways não responderam à ordem para acelerar.

O avião caiu de uma altura relativamente pequena na cabeceira da pista, quando chegava de Pequim a Londres com 136 passageiros, que conseguiram fugir enquanto tripulantes usavam extintores para controlar um incêndio. O incidente deixou 13 feridos, sendo um passageiro em estado grave.

"A aproximadamente 600 pés e a duas milhas de tocar o solo, o auto-acelerador exigiu um aumento na força dos dois motores, mas os motores não responderam", disse o Departamento de Investigações de Acidentes Aéreos em seu relatório preliminar. "Após outros pedidos de força aumentada do auto-acelerador, e subsequentemente com a tripulação movimentando os manetes do acelerador, os motores de forma similar deixaram de responder."

A agência disse que o vôo transcorria normalmente até então, e que a investigação vai agora se voltar para uma análise mais detalhada das caixas-pretas e de "toda a gama de sistemas da aeronave" que possam ter afetado os motores.

Recebido com aplausos eufóricos na sede da British Airways, o capitão Peter Burkill fez uma rápida declaração a jornalistas, mas sem comentar as possíveis causas do acidente.

Mas elogiou os tripulantes por demonstrarem "os mais elevados padrões de capacidade e profissionalismo". Agradeceu os passageiros por "sua calma e bom senso" e elogiou a rapidez das equipes de socorro. Contou ainda que seu co-piloto, John Coward, estava nos controles durante os difíceis minutos finais do vôo.

Especialistas da Boeing foram deslocados para se juntar aos investigadores oficiais e aos técnicos da Rolls Royce, que devem levar meses para apurar as causas do acidente. O avião possuía dois motores turbo-hélice Rolls-Royce RB211 Trent 895-17.

Heathrow, aeroporto mais movimentado do mundo, tentava voltar ao normal na sexta-feira. Durante a manhã, mais de 50 vôos foram cancelados, mas a British Airways disse que todos os vôos de longa distância operam normalmente, e que o mesmo vale para 90 por cento dos trajetos menores.

(Reportagem adicional de Michael Holden)