Bagdá tem restrições e violência no 5o aniversário da ocupação

quarta-feira, 9 de abril de 2008 09:34 BRT
 

Por Ahmed Rasheed e Wisam Mohammed

BAGDÁ (Reuters) - Pelo menos 12 pessoas morreram na quarta-feira na favela xiita de Sadr City, em Bagdá, apesar do toque de recolher parcial destinado a evitar incidentes no quinto aniversário da invasão norte-americana na cidade.

A polícia disse que seis pessoas morreram em confrontos durante a madrugada, e que seis outras morreram numa explosão matinal, de causas ainda desconhecidas, numa funerária de Sadr City, o que deixou também 14 feridos.

Qasim Al Mudalla, diretor de um hospital em Sadr City, disse que 4 corpos e 23 feridos deram entrada na quarta-feira. O bairro é cenário de confrontos entre soldados e milicianos xiitas desde domingo.

"O que eles estão fazendo? O piso do hospital está coberto com o sangue de crianças. O que o mundo está fazendo? Viram o sangue das nossas crianças e não fazem nada", disse ele à Reuters.

Na terça-feira houve pelo menos 15 mortos e 200 feridos, segundo hospitais da favela, que tem 2 milhões de habitantes.

Esta área na zona leste de Bagdá tem sido o foco nesta semana dos confrontos entre a milícia Exército Mehdi, do clérigo xiita Moqtada Al Sadr, e as forças locais e norte-americanas. No mês passado, as autoridades promoveram uma campanha de repressão à milícia em Basra (sul).

Em nota, a Comissão de Direitos Humanos do Parlamento alertou para a "trágica situação" em Sadr City, onde o cerco militar de duas semanas já provoca escassez de alimentos e remédios.

Sadr chegou a convocar uma manifestação contra os EUA para a quarta-feira, mas a cancelou alegando temer pela segurança de seus seguidores.   Continuação...

 
<p>Bagd&aacute; tem restri&ccedil;&otilde;es e viol&ecirc;ncia no 5o anivers&aacute;rio da ocupa&ccedil;&atilde;o. Pessoas carregam o caix&atilde;o de civil morto em ataques em Bagd&aacute;. Pelo menos 12 pessoas morreram na quarta-feira na favela xiita de Sadr City, em Bagd&aacute;, apesar do toque de recolher parcial destinado a evitar incidentes no quinto anivers&aacute;rio da invas&atilde;o norte-americana na cidade. 9 de abril. Photo by Ali Abu Shish</p>