Armadilha explosiva mata 6 soldados dos EUA em casa no Iraque

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 21:15 BRST
 

Por Peter Graff

BAGDÁ (Reuters) - Seis soldados norte-americanos morreram na quarta-feira dentro de uma casa repleta de explosivos, ao norte de Bagdá, durante uma nova ofensiva das forças dos EUA e do Iraque contra a Al Qaeda, segundo os militares.

Foi um dos dias com mais baixas fatais para os EUA no Iraque nos últimos meses. Na véspera, três soldados haviam morrido nessa operação. Desde o começo da ocupação norte-americana, em março de 2003, já foram mortos mais de 3.900 soldados norte-americanos.

Os militares deram poucos detalhes do incidente, mas disseram que os seis soldados foram mortos na quarta-feira por "um artefato explosivo improvisado instalado numa casa" em Diyala, uma violenta província ao norte de Bagdá, reduto dos militantes islâmicos.

Os três outros soldados haviam morrido na província de Salahuddin, também ao norte de Bagdá, outra área incluída na ofensiva iniciada na terça-feira.

O general Mark Hertling, comandante das forças dos EUA no norte do Iraque, disse em entrevista coletiva que 24 mil soldados norte-americanos e 50 mil iraquianos participam da operação denominada "Colheita de Ferro", em quatro províncias do norte.

A operação é parte de uma ofensiva maior, a "Operação Fênix Ilusória" anunciada na terça-feira, com abrangência na capital, em sua periferia sul e também no norte do país.

Hertling disse que no norte a principal atividade ocorre em Diyala, uma região etnicamente mista e muito violenta, considerada pela Al Qaeda, segundo o general, a capital do seu Califado Islâmico.

Uma brigada com cerca de 5.000 norte-americanos e uma divisão de iraquianos realizou ataques perto de Muqdadiya, numa parte fértil do vale do Diyala. Hertling disse que a resistência foi menor do que a esperada, e que os guerrilheiros aparentemente se retiraram das aldeias diante do avanço norte-americano. Ele disse que os relatos dos militares iraquianos, segundo os quais entre 20 e 30 militantes morreram, "soam corretos".

Os EUA suspeitam que a Al Qaeda iraquiana tenha se reagrupado em partes do norte do país depois de ser expulsa do oeste.