Chefe de banco público será ministro da Economia da Argentina

quarta-feira, 14 de novembro de 2007 16:14 BRST
 

Por Kevin Gray

BUENOS AIRES (Reuters) - A presidente eleita da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, anunciou nesta quarta-feira que o Ministério da Economia de seu governo ficará com o presidente de um dos maiores bancos públicos argentinos, Martin Lousteau, de 36 anos.

Ela também divulgou o resto do gabinete, que tem vários nomes importantes do governo atual, liderado pelo marido dela, Néstor Kirchner.

Cristina Kirchner foi eleita no primeiro turno no dia 28 de outubro e tomará posse no dia 10 de dezembro, em meio à crescente preocupação com a pressão inflacionária. Cristina é a primeira presidente mulher da Argentina.

Lousteau, que chefia o Banco de la Provincia de Buenos Aires, substituirá o ministro Miguel Peirano, que segundo a imprensa entrou em choque com outros assessores da área econômica do governo Kirchner por causa dos índices de inflação.

O governo tem sido acusado de manipular os índices para baixo por causa da eleição. Dados oficiais dizem que a inflação nos últimos 12 meses foi de 8,4 por cento, mas economistas na Argentina e no exterior estimam que o número real esteja por volta de 20 por cento.

A nomeação de Lousteau foi elogiada por líderes empresariais, e o índice da bolsa local, o MerVal, subiu mais de 1 por cento depois do anúncio de seu nome.

"Ele é um economista que acredita na indústria. Ele está claramente alinhado (com o presidente Néstor Kirchner)", disse José de Mendiguren, vice-presidente da União Industrial Argentina.

Lousteau já foi ministro de Produção da Província de Buenos Aires e também já trabalhou no banco central argentino.   Continuação...