11 de Agosto de 2008 / às 13:43 / 9 anos atrás

UE e Otan criticam Rússia por ação na Geórgia

Por Ingrid Melander e David Brunnstrom

BRUXELAS (Reuters) - A Comissão Européia pediu na segunda-feira à Rússia que suspenda imediatamente as ações militares na Geórgia, e a Otan acusou Moscou de usar força excessiva.

"Pedimos à Rússia que pare imediatamente toda a atividade militar em território georgiano", disse Krisztina Nagy, porta-voz da Comissão, pedindo moderação a ambas as partes. "Consideramos que os fatos mais recentes, como a transposição da fronteira georgiana por parte das tropas russas, mudam a dimensão do conflito."

Nagy disse que a Comissão apóia os esforços diplomáticos para resolver a crise, "em total respeito pela integridade territorial e soberania da Geórgia".

O governo georgiano tem apoio do Ocidente e acusa a Rússia de tentar derrubá-lo. A Rússia diz que agiu para garantir a estabilidade na região separatista georgiana da Ossétia do Sul.

Essa república há mais de dez anos goza de autonomia sob a proteção de Moscou, mas na semana passada Tbilisi enviou tropas para tentar recuperá-la.

Na quarta-feira, os chanceleres da UE realizarão uma reunião de emergência para ouvir o relato de Bernard Kouchner, o ministro francês de Relações Exteriores, que tenta estabelecer uma mediação.

A Otan também se disse "seriamente preocupada com o uso desproporcional da força por parte dos russos e com a falta de respeito pela integridade territorial da Geórgia".

"As operações militares[..., inclusive os ataques aéreos e com mísseis, não têm relação e vão bem além da operação de manutenção de paz da CEI", disse a porta-voz Carmen Romero, referindo-se à Comunidade de Estados Independentes, um bloco de ex-repúblicas soviéticas liderado pela Rússia.

A Otan irritou Moscou em abril ao dizer que a Geórgia, também uma ex-república soviética, um dia poderia ser parte da aliança militar ocidental.

A chanceler georgiana, Ekaterine Tkeshelashvili, se reúne na terça-feira em Bruxelas com embaixadores da Otan para discutir a crise. Ela também será recebida pelo secretário-geral da entidade, Jaap de Hoop Scheffer, e participará de uma reunião do Conselho do Atlântico Norte.

Romero acrescentou que a Otan apóia as mediações internacionais, baseadas na preservação da integridade territorial georgiana, mas não tem mandato para intervir diretamente em conflitos no Cáucaso.

Kouchner propôs um cessar-fogo imediato, o recuo das tropas para as posições prévias a 6 de agosto, o envio de uma força internacional e o respeito à integridade territorial da Geórgia.

Na segunda-feira, o ministro francês saiu de uma reunião com Saakashvili dizendo que o presidente georgiano está "determinado a fazer a paz".

Na terça-feira, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, deve ir a Moscou para discutir o assunto com seu colega Dmitry Medvedev.

Reportagem adicional de Paul Taylor em Bruxelas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below