UE promete ação contra piratas; Quênia prende autoridade

quinta-feira, 2 de outubro de 2008 14:40 BRT
 

Por Celestine Achieng

MOMBASA, Quênia, 2 de outubro (Reuters) - A União Européia (UE) prometeu na quinta-feira lançar rapidamente uma operação militar contra os piratas somalis.

No mesmo dia, o Quênia acusou formalmente uma autoridade do setor marítimo de divulgar informações "alarmistas" ao dizer que se dirigia para o Sudão um navio sequestrado pelos criminosos e carregado com tanques de guerra.

A captura, na semana passada, do navio ucraniano MV Faina na costa da Somália gerou polêmica no leste da África a respeito do destino final da embarcação, dentro da qual estão 33 tanques T-72.

O fato serviu também para chamar atenção da comunidade internacional para o problema da pirataria na região.

Neste ano, piratas somalis apreenderam vários navios nas rotas do oceano Índico e do golfo de Áden, que ligam a Europa à Ásia, ao Oriente Médio e à África.

Os criminosos ainda mantêm sob seu poder uma dúzia de navios, entre os quais o Faina, pelo qual pediram um resgate de 20 milhões de dólares.

A Europa tenta aprovar com celeridade um plano para que ao menos nove países tomem parte de uma operação aérea e naval contra os piratas, que faturam milhões de dólares com os resgates, responsáveis também por elevar o preço do seguro pago pelas empresas de transporte marítimo.

"O objetivo é agir rapidamente", disse Laurent Teisseire, porta-voz do Ministério da Defesa da França.   Continuação...