AGENDA POLÍTICA-Em semana de feriado, oposição obstrui votações

sexta-feira, 14 de março de 2008 18:01 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O ritmo da próxima semana será menor como reflexo do feriado da sexta-feira santa, que na prática já reduz os trabalhos do Congresso na quinta-feira.

Também vai colaborar para a paralisia a estratégia da oposição, que pretende obstruir todas as votações de medidas provisórias na Câmara e no Senado, até que haja a definição de um novo rito para a tramitação dessas medidas. A oposição considera excessivo o uso de medidas provisórias pela Presidência, que força o Congresso a se dedicar a elas a maior parte do tempo.

O líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), acredita que a obstrução pode comprometer até a apreciação do projeto de reforma tributária recém-enviado ao Congresso.

Já existe no Congresso uma proposta de emenda à Constituição que altera o trâmite das MPs, prevendo a eliminação da regra do trancamento da pauta de votações toda vez que uma delas não é apreciada em até 45 dias

A CPI mista dos cartões corporativos vai tomar os primeiros depoimentos na semana que vem. Na terça-feira, ouve Paulo Paiva, ex-ministro do Planejamento do governo Fernando Henrique Cardoso; o procurador do Tribunal de Contas da União (TCU), Marinus Eduardo Marsico; e o representante do Ministério Público junto ao TCU, Jorge Pereira de Macedo.

Na quarta-feira, a CPI recebe o ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage Sobrinho, e o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo da Silva. Bernardo orienta os servidores no uso dos cartões, enquanto Hage fiscaliza o uso e cuida das auditorias.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem confirmada viagem a Campo Grande (MS) na terça-feira para visita e lançamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Na quarta-feira recebe o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, para tratar das relações entre Mercosul e União Européia. (Reportagem de Carmen Munari)