ANÁLISE-Como Hillary deixou escapar uma liderança tão folgada?

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 11:14 BRT
 

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - Como a democrata Hillary Clinton deixou de ser o nome favorito para conquistar a vaga do partido nas eleições presidenciais dos EUA para transformar-se em uma pré-candidata que hoje luta por sua sobrevivência política?

Estrategistas da legenda e analistas de política afirmam que o caminho dela para a terra prometida da disputa presidencial enfrentou vários percalços.

A campanha da pré-candidata deixou-se tomar pelo excesso de confiança, não respondeu aos contagiantes apelos por mudança do adversário Barack Obama e não conseguiu controlar o ex-presidente Bill Clinton, entre outras falhas.

Quando lançou sua pré-candidatura, 13 meses atrás, Hillary o fez com uma declaração autoconfiante: "Estou na disputa, e estou na disputa para vencer." Em agosto, a ex-primeira-dama dos EUA liderava com folga as pesquisas, aparecendo 18 pontos percentuais à frente de Obama, o segundo colocado.

Ao lado de um marido politicamente brilhante, Hillary, atual senadora pelo Estado de Nova York, era vista pelos republicanos como o candidato a ser vencido nas eleições presidenciais de novembro.

Ela e seus assessores projetavam um ar de inevitabilidade, e a pré-candidata tentou colocar-se acima do bafafá criado por seus rivais imediatos dentro do Partido Democrata.

Muitas autoridades de Washington concluíram que a senadora derrotaria o candidato republicano na corrida pelo mais alto cargo do país, já que muitos norte-americanos mostram-se dispostos a mudar de rumo após os oito anos do governo de George W. Bush, um republicano.

Naquele momento, porém, os eleitores começaram a confundir os donos do poder e os especialistas em pesquisa.   Continuação...

 
<p>A pr&eacute;-candidata democrata &agrave; presid&ecirc;ncia dos EUA, Hillary Clinton, durante campanha em Ohio. Photo by Shannon Stapleton</p>