Rússia promete resposta pragmática a ampliação da Otan

quarta-feira, 2 de abril de 2008 09:14 BRT
 

MOSCOU (Reuters) - A Rússia vai reagir com pragmatismo --reforçando suas defesas e seu poderio econômico-- a uma eventual nova ampliação da Otan, disse na quarta-feira o chanceler Sergei Lavrov, segundo agências locais de notícias.

A Otan vai discutir nesta semana, durante sua cúpula em Bucareste, o início das negociações para a adesão de Geórgia e Ucrânia à aliança militar ocidental, apesar da oposição russa.

"A expansão da Otan não ficará sem resposta", disse Lavrov ao Parlamento, de acordo com a agência Itar-Tass. "Mas vamos reagir pragmaticamente", acrescentou.

Ele não deu detalhes sobre como a Rússia poderia incrementar seu poderio econômico e militar para responder à ampliação da Otan sobre sua área de influência.

Lavrov disse aos deputados que o governo vai avaliar com atenção uma resolução parlamentar reconhecendo a independência de duas regiões separatistas da Geórgia, mas que manterá seu compromisso geral com a integridade territorial dos países.

A Duma (Câmara dos Deputados) aprovou na semana passada uma resolução pedindo ao Kremlin que reconheça a independência das regiões pró-russas da Abkházia e da Ossétia do Sul.

"Certamente o apelo ao presidente e ao governo para que considerem se é apropriado reconhecer a Abkházia e a Ossétia do Sul causa o maior interesse", disse Lavrov, segundo a agência Interfax, prometendo no entanto que "todos os fatores serão levados em conta".

Em teleconferência na segunda-feira, Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, usou termos semelhantes. Aparentemente descartando o reconhecimento da independência das duas regiões, ele afirmou que Moscou vai respeitar a integridade territorial do país vizinho.

"Não podemos ignorar a opinião da Duma. Entretanto, a política externa é determinada pelo presidente da Federação Russa, e o presidente já disse que a Rússia se coloca pela integridade territorial da Geórgia", disse Peskov.

(Reportagem de Conor Sweeney)

 
<p>Homem com cartaz anti-Otan e anti-EUA, protestando do lado de fora da embaixada norte-americana em Moscou, 1o de abril. Photo by Sergei Karpukhin</p>