31 de Outubro de 2007 / às 17:30 / em 10 anos

Para evitar câncer, fuja da carne vermelha, diz estudo

<p>Mulher compra carne fresca em mercado de Ashgabat, no Turcomenist&atilde;o. Manter-se magro e evitar o consumo excessivo de carne vermelha e de vinho &eacute; uma das melhores maneiras de prevenir o c&acirc;ncer, revelou um novo estudo. Photo by Staff</p>

LONDRES (Reuters) - Manter-se magro e evitar o consumo excessivo de carne vermelha e de vinho é uma das melhores maneiras de prevenir o câncer, revelou um novo estudo.

O Fundo Mundial de Pesquisas sobre o Câncer (WCRF) afirmou que a ligação entre o acúmulo de gordura no corpo e o câncer é mais direta do que se imaginava.

Seu estudo encontrou evidências convincentes de ligação da obesidade com seis tipos de câncer, cinco a mais que a última pesquisa do tipo, feita há dez anos.

Os seis tipos são: câncer de esôfago, de pâncreas, do endométrio, de rim, de mama (pós-menopausa) e colorretal.

"Estamos recomendando que as pessoas se mantenham o mais magras possível dentro da faixa saudável, e que evitem o ganho de peso durante toda a vida adulta", disse o professor Michael Marmot, presidente do grupo de 21 cientistas eminentes que compilou o relatório.

O documento, que selecionou 7.000 estudos de um universo mundial de 500 mil realizados desde o início dos registros, nos anos 1960, traz cinco conclusões fundamentais.

Uma delas é que as carnes processadas, como presunto e bacon, elevam o risco de câncer colorretal e devem ser consumidas com parcimônia.

Outra é a ligação entre a carne vermelha e o câncer colorretal. As pessoas não devem comer mais que 500 g de carne vermelha cozida por semana -- ou entre 700 g e 750 g de carne crua.

O levantamento também mostrou a conexão entre o álcool e o câncer. As pessoas devem limitar seu consumo a duas doses ao dia para homens e uma para mulheres. Uma dose é equivalente a um copo de cerveja ou uma taça pequena de vinho.

O documento incentiva a amamentação, já que evidências mostraram que o aleitamento protege a mãe do câncer de mama.

"Este relatório é um verdadeiro marco na luta contra o câncer, porque suas recomendações representam as orientações mais definitivas já disponibilizadas no mundo para prevenir o câncer", disse o professor Martin Wiseman, diretor de projeto do estudo.

Os cientistas acreditam que um dos motivos para a ligação da gordura com o câncer seja o desequilíbro hormonal. Pesquisas mostraram que as células adiposas secretam hormônios como o estrogênio, que aumenta o risco de câncer de mama, e que a gordura acumulada na cintura estimula o corpo a produzir hormônios de crescimento.

O relatório recomenda 30 minutos de atividade física moderada por dia, aumentando para 60 minutos; tomar água, em vez de bebidas com açúcar; comer frutas e alimentos de origem vegetal; limitar o consumo de sal.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below