FHC chama dossiê de factóide e critica apatia do Congresso

quarta-feira, 7 de maio de 2008 15:02 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, afirmou que perdeu o interesse pelo caso do suposto dossiê sobre os cartões corporativos porque o tema se transformou em um "grande factóide".

"A questão principal não é saber quem fez ou vazou (o dossiê). A questão principal é saber se houve desvio dos recursos ou uso do dinheiro público. É um factóide. Tem que saber se justifica tanta gente ter o cartão", disse FHC a jornalistas após participar de um debate sobre a Reforma Política e o voto distrital, na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Fernando Henrique criticou a apatia e o esvaziamento do Congresso Nacional ao afirmar que faltam pautas e discussões sobre projetos de interesse do país.

"Os próprios deputados reclamam dia e noite que não têm agenda, que não são eles que controlam as pautas... A descrença no Congresso é alarmante. Ou se resolve isso ou haverá um autoritarismo da presidência", afirmou o ex-presidente.

"Estamos paralisados pelo sucesso, pelo bom desempenho da economia, pela liberdade e pela democracia. Precisamos sacudir a sociedade. Não pode achar que vai no embalo da valsa. Tem que reger a orquestra porque às vezes ela pode desafinar", comentou.

"PAC DA COMUNICAÇÃO"

Fernando Henrique acusou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de usar o PAC- Programa de Aceleração do Crescimento- como instrumento eleitoral e disse que deveria se chamar "Plano de Aceleração da Comunicação".

"Eu só vejo o presidente Lula fazendo inaugurações do PAC. O PAC virou um plano de aceleração da comunicação. Os dados de investimentos efetivos mostram que não há nada", criticou.   Continuação...