22 de Fevereiro de 2008 / às 15:11 / em 10 anos

Morrem os 46 ocupantes de avião na Venezuela

<p>Avi&atilde;o da companhia Santa Barbara de modelo similar ao que sofreu uma queda nos Andes, em imagem de arquivo. Todos os 46 ocupantes que estavam a bordo da aeronave morreram, segundo autoridades venezuelanas. Photo by Reuters (Handout)</p>

Por Enrique Andres Pretel

MÉRIDA, Venezuela (Reuters) - Os 46 ocupantes que viajavam em um avião comercial venezuelano morreram após a colisão da aeronave com uma montanha nos Andes do país, informou nesta sexta-feira o chefe da Defesa Civil.

O avião caiu a cerca de 10 quilômetros do aeroporto de Mérida, de onde havia decolado com destino a Caracas. Entre os passageiros estava um menino de 11 anos.

Os destroços do avião da companhia Santa Bárbara estão em uma região “intransponível” a 4.000 metros de altitude na localidade de Los Conejos, segundo comunicações entre agentes de resgate e a Defesa Civil ouvidos por um jornalista da Reuters em um aeroporto do Estado vizinho de Barinas.

“Esta aeronave foi encontrada totalmente destruída, bateu de frente em uma das montanhas do páramo de Los Conejos, e ali lamentavelmente morreram todos os seus ocupantes”, confirmou a um canal de televisão o chefe da Defesa Civil, Antonio Rivero. Pouco antes, o piloto do helicóptero de resgate disse a veículos de comunicação que a aeronave que havia caído estava praticamente “pulverizada”.

A região do acidente está a cerca de quatro horas caminhando a partir da estrada mais próxima, nas cercanias de uma área de montanhas usada por turistas para vôos de parapente. Os agentes de resgate tiveram que descer em cordas do helicóptero para chegar ao local.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, expressou seu “enorme pesar aos familiares das vítimas” e disse estar surpreso pelas circunstâncias do trágico acidente, já que a aeronave teria que ter dado um giro forte para cair naquele local.

“Não sabemos as causas, mas as investigações estão progredindo”, afirmou.

CORPOS

As equipes de resgate montaram um acampamento na tarde de sexta-feira onde se instalaram peritos. Do local, é necessário caminhar por algumas horas para chegar à área do desastre, devido a dificuldade de vôo do helicóptero por questões climáticas.

Familiares dos passageiros viajaram para Mérida nesta manhã para esperar notícias sobre as vítimas.

“A última informação que nos deram as autoridades foi que é muito difícil que se possa trazer os corpos, porque o avião bateu contra uma montanha e parece que explodiu, e não vai haver restos”, disse Jennifer Pérez, parente de uma das vítimas.

Um jornalista da Reuters teve acesso a um vídeo feito pela equipe de resgate que mostrava partes de corpos e da fuselagem do avião entre muitas pedras.

A companhia aérea emitiu um comunicado lamentando o acidente e afirmou que colocará à disposição das autoridades “toda a colaboração para que seja concluída a investigação que permita esclarecer as causas desse lamentável acontecimento”.

O bimotor caiu a poucos quilômetros da cidade andina de Mérida, uma área reconhecidamente complicada para os pilotos, depois de ter levantado vôo dali em direção à capital venezuelana, Caracas, na quinta-feira à noite.

Moradores da região montanhosa disseram ter ouvido um grande estrondo, supostamente provocado pela queda do avião, pouco após o desaparecimento do Vôo 518, afirmou Gerardo Rojas, membro de um órgão regional da Defesa Civil.

(Com reportagem de Brian Ellsworth, Ana Isabel Martinez)

REUTERS ES

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below