BRASKEM prefere que PETROBRAS entregue Triunfo a recursos

segunda-feira, 12 de maio de 2008 17:16 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 12 de maio (Reuters) - A Braskem (BRKM5.SA: Cotações) prefere que a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) entregue sua participação na Petroquímica Triunfo do que receber o valor correspondente ao ativo, afirmou o presidente da Braskem, José Carlos Grubisich, nesta segunda-feira.

"A Petrobras tem uma opção, ela pode trazer ou a Triunfo em ativo ou o valor disso, mas tem questões societárias para resolver dentro da Triunfo", disse Grubisich. A estatal tem 60 por cento da Triunfo e a Petroplastic o restante.

A refinaria Triunfo ficou de fora, até o momento, da reestruturação petroquímica realizada em novembro do ano passado, em que a Petrobras entregou para a Braskem as participações na Copesul, na Ipiranga Química, Ipiranga Petroquímica e na Petroquímica Paulínia. No final da reestruturação, a Petrobras ficará com 25 por cento da Braskem.

A estatal tem até o final do ano para decidir como fará o aporte.

A Petroquímica Triunfo tem uma capacidade instalada de 160 mil toneladas por ano de 30 tipos de polietileno de baixa densidade entre outros produtos.

"Além da consolidação do setor petroquímico temos a expansão das nossas unidades no país, que estão em andamento. Paulínia foi a primeira, e depois os greenfields no exterior", informou.

Segundo Grubisich, fora do país os projetos na Venezuela estão mais avançados, mas junto com a Petrobras a empresa estuda também o aproveitamento petroquímico de gás natural no Peru, no campo de Camisea. "A próxima pode ser a Bolívia, em algum momento", afirmou sem dar detalhes.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)