França fará nova tentativa para ajudar Ingrid Betancourt

quarta-feira, 9 de abril de 2008 09:45 BRT
 

PARIS (Reuters) - A França busca outro meio para ajudar a refém Ingrid Betancourt, depois de desistir de enviar uma equipe médica ao cativeiro dela na selva colombiana, disse na quarta-feira o chanceler Bernard Kouchner.

A libertação de Betancourt, cidadã franco-colombiana sequestrada pela guerrilha Farc em 2002, quando fazia campanha a presidente da Colômbia, é uma prioridade para o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

De acordo com ele, Betancourt está muito doente e perto da morte. A guerrilha rejeitou a missão médica na terça-feira, e em seguida Paris a cancelou.

"O que importa é que vamos continuar de uma forma ou de outra, e precisamos encontrá-la", disse Kouchner a jornalistas após a reunião semanal do gabinete. O chanceler viaja em breve para a América do Sul.

Betancourt é parte, junto com outros políticos, militares e três norte-americanos, de um grupo de 40 reféns "estratégicos" que as Farc pretendem trocar por guerrilheiros presos. Mas o governo e o grupo rebelde não se entendem nem sobre o formato dessa negociação.

Uma junta médica francesa chegou na quinta-feira a uma base aérea de Bogotá, de onde esperava ter acesso a Betancourt. De acordo com Kouchner, a rejeição das Farc deixou claro que a missão não teria chances de sucesso.

"Precisamos levar isso em conta. Mas isso não significa de forma alguma que estejamos desistindo. Pelo contrário, estamos persistindo", disse o ministro, sem dar detalhes das intenções francesas a partir de agora.

"Irei para lá num futuro relativamente próximo para tentar estabelecer novamente as bases de uma missão que sem dúvida será diferente", disse Kouchner, sem revelar a data da viagem.

Acredita-se que Betancourt esteja doente, mas não se sabe exatamente qual o seu estado. Na segunda-feira, Kouchner disse que ela pode estar em melhores condições do que se imaginava.

(Reportagem de Emmanuel Jarry)

 
<p>Fran&ccedil;a far&aacute; nova tentativa para ajudar Ingrid Betancourt. Manifestantes colocam fotos gigantes de ref&eacute;ns das Farc na Casa das Am&eacute;ricas em Madri. A Fran&ccedil;a busca outro meio para ajudar a ref&eacute;m Ingrid Betancourt, depois de desistir de enviar uma equipe m&eacute;dica ao cativeiro dela na selva colombiana, disse na quarta-feira o chanceler Bernard Kouchner. 9 de abril. Photo by Sergio Perez</p>