Petros pode ajudar a financiar 1a hidrelétrica no Madeira

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007 17:51 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 21 de dezembro (Reuters) - O Petros, fundo de pensão da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), negocia com os vencedores do leilão da hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira (RO), entrar com até 10 por cento do financiamento privado necessário para o projeto, disse o presidente do fundo, Wagner Pinheiro.

A hidrelétrica está orçada em cerca de 9,5 bilhões de reais e o BNDES poderá financiar até 70 por cento do montante, com o restante a ser bancado pelas empresas participantes do projeto.

"Podemos entrar com até 10 por cento dos cerca de 3 bilhões de reais privados. As regras para um fundo de pensão impõem que podemos ter até 25 por cento de participação numa SPE (Sociedade de Propósito Específico) e, se o capital for aberto, só podemos ter 20 por cento", afirmou ele em entrevista à Reuters.

Pinheiro afirmou que o Petros aguarda a conversa entre o consórcio vencedor e bancos privados para definir a participação do fundo no investimento.

A entrada no Madeira faz parte de uma estratégia do fundo de ampliar a participação em renda variável, principalmente no setor de infra-estrutura.

"Geração de energia é um excelente negócio. Uma hidrelétrica gera por cem anos. É um investimento de longo prazo e com fluxo de caixa constante", disse Pinheiro.

Pinheiro disse que a carteira atual do fundo é composta por 32 por cento de renda variável e 62 por cento de renda fixa e títulos do governo, com o restante distribuído em outros tipos de ativos. A meta, em dois anos, é reduzir a renda fixa para um patamar de 55 por cento e aumentar a renda variável para 40 por cento.

"Queremos reduzir na renda fixa a participação em títulos públicos. Queremso ter um perfil de carteira com mais investimentos em energia, transportes, ferrovias e saneamento, que ainda carecem de regulação", frisou o executivo.   Continuação...