21 de Dezembro de 2007 / às 19:56 / 10 anos atrás

Petros pode ajudar a financiar 1a hidrelétrica no Madeira

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 21 de dezembro (Reuters) - O Petros, fundo de pensão da Petrobras (PETR4.SA), negocia com os vencedores do leilão da hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira (RO), entrar com até 10 por cento do financiamento privado necessário para o projeto, disse o presidente do fundo, Wagner Pinheiro.

A hidrelétrica está orçada em cerca de 9,5 bilhões de reais e o BNDES poderá financiar até 70 por cento do montante, com o restante a ser bancado pelas empresas participantes do projeto.

"Podemos entrar com até 10 por cento dos cerca de 3 bilhões de reais privados. As regras para um fundo de pensão impõem que podemos ter até 25 por cento de participação numa SPE (Sociedade de Propósito Específico) e, se o capital for aberto, só podemos ter 20 por cento", afirmou ele em entrevista à Reuters.

Pinheiro afirmou que o Petros aguarda a conversa entre o consórcio vencedor e bancos privados para definir a participação do fundo no investimento.

A entrada no Madeira faz parte de uma estratégia do fundo de ampliar a participação em renda variável, principalmente no setor de infra-estrutura.

"Geração de energia é um excelente negócio. Uma hidrelétrica gera por cem anos. É um investimento de longo prazo e com fluxo de caixa constante", disse Pinheiro.

Pinheiro disse que a carteira atual do fundo é composta por 32 por cento de renda variável e 62 por cento de renda fixa e títulos do governo, com o restante distribuído em outros tipos de ativos. A meta, em dois anos, é reduzir a renda fixa para um patamar de 55 por cento e aumentar a renda variável para 40 por cento.

"Queremos reduzir na renda fixa a participação em títulos públicos. Queremso ter um perfil de carteira com mais investimentos em energia, transportes, ferrovias e saneamento, que ainda carecem de regulação", frisou o executivo.

Pinheiro afirmou que o ano foi bom para o Petros, e um dos motivos foi o forte desempenho da bolsa de valores.

"A bolsa caiu um pouco, mas no saldo do ano ela foi bem. Nossos investimentos privados também deram um bom resultado", afirmou.

Segundo ele, o Petros fechará o ano com uma rentabilidade de 18 por cento e com um lucro líquido superior a 1,5 bilhão de reais.

Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below