25 de Março de 2008 / às 15:15 / 9 anos atrás

O que espera os derrotados na disputa pela Casa Branca

Por Thomas Ferraro

WASHINGTON (Reuters) - Uma pode se tornar a primeira mulher a comandar a bancada majoritária no Senado dos EUA. O outro é relativamente jovem e ainda pode disputar novamente a Presidência. O terceiro deve simplesmente retomar suas atividades parlamentares e se aposentar dentro de dois anos. São essas as principais opções para os derrotados na eleição presidencial norte-americana de novembro.

John McCain já está definido como o nome republicano na eleição. Entre os democratas, a disputa continua acirrada entre os senadores Hillary Clinton, de 60 anos, e Barack Obama, de 46.

McCain, que completa 72 anos em agosto, seria a pessoa mais velha a ser eleita para um primeiro mandato presidencial nos EUA, Hillary seria a primeira mulher a governar o país, e Obama seria o primeiro presidente norte-americano negro, e também um dos mais jovens.

"Os três enfrentam situações muito diferentes, mas em cada caso precisam demonstrar alguma graça caso percam --ou então estarão em apuros", disse James Thurber, do Centro para Estudos Parlamentares e Presidenciais da Universidade Americana.

O primeiro teste será com que rapidez conseguirão superar a frustração pela derrota. O que não é fácil.

Pela primeira vez na história, o confronto se dará entre dois senadores. O último senador eleito presidente foi John Kennedy, em 1960.

Hillary, senadora por Nova York, e Obama, senador por Illinois, vêm se digladiando. Mas o derrotado terá a obrigação de apoiar o vencedor com entusiasmo, segundo vários acadêmicos e senadores ouvidos.

Se a ex-primeira-dama Hillary admitir a vitória de Obama e se empenhar na campanha dele, pode ser recompensada pelo partido e indicada para liderar o Senado.

Na opinião do senador democrata Patrick Leahy, ela "poderia se tornar um dos membros mais poderosos e influentes do Senado", mas talvez prefira manter uma agenda própria em vez de ser confinada às atribuições de líder da maioria.

Obama --orador talentoso, político carismático e senador em primeiro mandato-- ainda poderia tentar novamente a Casa Branca, em 2012 ou 2016.

"Mesmo que perca a indicação (em 2008), acho que ele continua numa trajetória ascendente e seria forte candidato a concorrer a presidente outra vez", disse Paul Light, do Centro de Estudos do Congresso da Universidade de Nova York.

Se McCain perder em novembro, deve retomar sua exaltada defesa da guerra do Iraque no Senado, opondo-se a qualquer tentativa de desocupação por parte do novo governo democrata.

McCain cumpre seu quarto mandato de seis anos no Senado. Poderia tentar a reeleição em 2010, quando terá 74 anos. "A esta altura, acho que ele se aposenta", disse Thurber, da Universidade Americana.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below