Rússia abre concorrência para construir novas espaçonaves

sexta-feira, 9 de novembro de 2007 15:08 BRST
 

MOSCOU (Reuters) - A Rússia lançou um projeto para criar uma nova geração de naves e propulsores espaciais, afirmou nesta sexta-feira o chefe da administração espacial, deixando claro que eles só vão decolar depois de 2020.

"Foi anunciada uma concorrência para projetar um novo propulsor e uma nova nave", disse o chefe da Roskosmos, Anatoly Perminov, segundo a agência Itar-Tass.

A posição de liderança na exploração espacial era um orgulho nacional na época da União Soviética, que foi o primeiro país a lançar um satélite e um ser humano no espaço.

Embora tenha sido fortemente prejudicado pela turbulência econômica que se seguiu à queda da União Soviética, o setor espacial ainda é um dos poucos que continuam competitivos na Rússia.

O país deposita grandes esperanças na área para diversificar suas atividades econômicas, que dependem basicamente das exportações de petróleo e gás.

Perminov não deu detalhes sobre a concorrência, mas disse que a TsSKB-Progress, da cidade de Samara, à margem do Volga, deve participar com o projeto da Soyuz-3, assim como o centro Khrunichev, de Moscou, com as naves Angara 3P e Angara 5P.

Os Estados Unidos desenvolveram antes que a União Soviética o sistema dos ônibus espaciais, naves multiuso que hoje compõem a frota norte-americana de espaçonaves tripuladas.

Autoridades espaciais russas já disseram que naves de uso exclusivo, como a Soyuz-TM, que usam atualmente, são mais baratas e mais práticas.

Perminov reiterou a promessa russa de construir seu próprio cosmódromo para o lançamento de foguetes. Hoje, a principal base de lançamento russa, Baikonur, é alugada do Cazaquistão. Mas ele também disse que sua expectativa é que Baikonur continue a ser usado por pelo menos mais 13 anos.

"Não vamos poder sair de Baikonur até 2020, desde que as naves Soyuz estejam voando", disse ele, segundo a agência RIA.