Dalai Lama encontra manifestantes tibetanos exilados

quarta-feira, 19 de março de 2008 10:50 BRT
 

Por Jonathan Allen

DHARAMSALA, Índia (Reuters) - O Dalai Lama se reuniu na quarta-feira com manifestantes tibetanos em sua base no norte da Índia, enquanto muitos ativistas criticam a suposta tolerância do líder espiritual budista em relação à China.

O Dalai Lama, que questiona algumas táticas usadas pelos exilados, como passeatas até a fronteira com a China, tenta explicar aos líderes dos protestos, muitos deles jovens, que sua posição é pela autonomia do Tibet, e não pela independência em relação à China.

Na véspera, o líder budista ameaçara renunciar ao seu posto caso a violência no Tibet saia de controle.

"Ele lhes explicou sobre seus sentimentos e que talvez seja hora de considerar o longo prazo", disse à Reuters Chhime Chhoekyapa, porta-voz do Dalai Lama. "Mas se (os manifestantes) vão ouvir é algo que cabe a eles."

O encontro durou cerca de 20 minutos. Os líderes dos manifestantes em seguida deixaram a residência e foram realizar uma reunião entre si.

Vários grupos de exilados, como o Congresso da Juventude Tibetana, defendem táticas como a convocação de um boicote à Olimpíada de Pequim --evento que tem o apoio do Dalai Lama.

Na quarta-feira, a China disse haver uma luta "de vida ou morte" contra o Dalai Lama. O regime realiza prisões e endureceu o controle político na tentativa de conter a onda de protestos no Tibet e em províncias vizinhas.

O primeiro-ministro Wen Jiabao acusou nesta semana "a camarilha do Dalai" de coordenar os protestos a partir de seu exílio. O líder budista nega.   Continuação...