PF investiga cerceamento a candidatos em favelas do Rio

terça-feira, 22 de julho de 2008 20:19 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Polícia Federal está investigando o cerceamento a candidatos que tem encontrado dificuldades em fazer campanha eleitoral no Rio de Janeiro em favelas e comunidades carentes dominadas por traficantes e milícias.

A PF recebeu as primeiras denúncias há cerca de 20 dias e começou a apurar possíveis infrações à lei eleitoral

"O que a Polícia Federal investiga não é atuação de milícia ou traficante. O que se investiga é a existência de crime eleitoral", disse o superintendente da PF do Rio, Valdinho Jacinto Caetano.

"Quem impedir um candidato de fazer sua campanha pode ser preso em flagrante", acrescentou.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio recebeu várias denúncias de candidatos que foram impedidos de entrar em comunidades carentes e favelas do Rio, alegado ser determinação de traficantes e milícias que estariam fazendo campanha para um candidato concorrente.

O coordenador estadual do TRE, Luis Márcio Pereira, que acompanha as denúncias encaminhadas ao Tribunal, participou diretamente das investigações que resultaram na prisão nesta terça-feira do deputado estadual Natalino José Guimarães (DEM).

Ele é acusado de dominar uma milícia conhecida como Liga da Justiça que controla favelas da zona oeste da cidade. O irmão dele, Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho (PMDB), já tinha sido preso pela mesma acusação.

A milícia dos irmãos Natalino e Jerominho atuaria também em atividades irregulares como TV a cabo clandestina, revenda de gás de cozinha e transporte alternativo irregular. O grupo páramilitar movimentaria cerca de 5 milhões de reais ao mês.   Continuação...