22 de Agosto de 2008 / às 18:43 / 9 anos atrás

Obama prolonga suspense sobre nome de seu candidato a vice

Por John Whitesides

WASHINGTON (Reuters) - O candidato democrata à Presidência dos EUA, Barack Obama, prolongou na sexta-feira o suspense a respeito de sua escolha para parceiro de chapa, afirmando ter escolhido uma voz independente que viria a ser um participante ativo na condução do governo norte-americano --mas sem revelar o nome dele.

Obama vem adiando o anúncio do nome de seu candidato a vice para obter o máximo de impacto político possível. No entanto, seu tempo está se esgotando. A convenção do Partido Democrata que o nomeará oficialmente candidato da legenda começa na segunda-feira, e o vice-presidente aceita a indicação na quarta seguinte.

"Eu sou bastante disciplinado a esse respeito", disse Obama ao programa "The Early Show", do canal CBS, ao ser questionado sobre sua escolha.

O democrata, 47, senador em primeiro mandato pelo Estado de Illinois, afirmou ter buscado um parceiro de chapa que estará preparado para ser o líder dos EUA caso isso seja necessário e que conseguiria ajudá-lo a governar.

"O terceiro critério que usei foi a independência. Eu quero alguém que desafiará minha forma de pensar e não apenas que concordará com tudo quando se trata de optar por esta ou aquela política", disse.

Obama pode anunciar o nome de seu candidato a vice a qualquer momento. Espera-se, no entanto, que o faça no sábado, quando estará em Illinois a fim de lançar os preparativos para a convenção democrata, que deve ocorrer em Denver.

A história ensina que a escolha do parceiro de chapa não deve afetar de forma decisiva a eleição presidencial, que ocorre no dia 4 de novembro. Mas somada às convenções partidárias, essas escolhas darão a Obama e a seu adversário do Partido Republicano, John McCain, uma maior exposição.

As especulações a respeito do nome a ser escolhido pelo democrata centraram-se em três figuras --o governador da Virgínia, Tom Kaine, o senador por Indiana Evan Bayh e o senador por Delaware Joseph Biden.

Obama, porém, não se incomodou com o fato de os boatos sobre seu vice-presidente terem perdido espaço na quinta-feira, dia no qual tentou destacar a incapacidade de McCain de dizer quantas casas possui.

Segundo o senador por Illinois, isso prova que o republicano não consegue compreender as dificuldades econômicas enfrentadas pela maior parte dos norte-americanos hoje em dia.

Em uma entrevista concedida ao jornal Politico, o senador pelo Estado do Arizona foi questionado sobre quantas casas possuiria junto com sua mulher, Cindy, uma rica herdeira de uma distribuidora de cerveja.

"Acho que... vou ter de pedir a meus assessores que lhe informem isso", respondeu McCain.

"Há alguns condomínios nos quais... Bom, vou pedir que eles lhe passem isso." Segundo o Politico, McCain contou "ao menos" quatro casas. No entanto, outros meios de comunicação falaram em ao menos sete casas.

No canal CBS, Obama lembrou os comentários recentes de McCain sobre a economia norte-americana estar "fundamentalmente forte" e sobre ela ter avançado durante o governo do presidente George W. Bush, membro também do Partido Republicano.

Segundo o democrata, McCain "obviamente não sabe muito bem o que os norte-americanos comuns estão enfrentando".

Obama regressou para sua cidade de origem, Chicago, na quinta-feira à noite e não possui nenhum evento público marcado para esse dia, alimentando as expectativas sobre a iminência do anúncio dele a respeito de seu vice.

McCain também se afastará dos compromissos de campanha na sexta-feira, recolhendo-se a sua casa, no Arizona.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below