1 de Fevereiro de 2008 / às 14:52 / 10 anos atrás

Emprego nos EUA diminui pela 1a vez em 4 anos e meio

Por Glenn Sommerville

WASHINGTON (Reuters) - A economia dos Estados Unidos fechou 17 mil postos de trabalho em janeiro, registrando o primeiro mês em quase quatro anos e meio com corte de emprego, por conta da desaceleração da construção e do setor manufatureiro.

O dado divulgado nesta sexta-feira pelo Departamento de Trabalho foi muito menor do que o esperado por analistas ouvidos pela Reuters, que previam abertura de 80 mil vagas no mês passado.

O governo revisou também o total de novos empregos em dezembro de 18 mil para 82 mil, mas reduziu suas estimativas de contratação em outubro e novembro, sinalizando como o emprego já estava em declínio no final de 2007.

Janeiro foi o primeiro mês com fechamento de empregos desde agosto de 2003, e alguns analistas dizem que os números montam um quadro de economia em declínio.

“Estamos à beira de uma recessão agora”, disse Daniel North, economista-chefe da Euler Hermes ACI, em Owings Mill, Maryland. “O mercado de trabalho sempre é um indicador mais lento. Foi o prego no caixão.”

O relatório chocou os mercados financeiros.

O dólar caiu fortemente em relação a outras moedas. Os futuros das bolsas norte-americanas reduziram a forte alta em que operavam, e os preços dos títulos do governo diminuíram a queda que exibiam.

A taxa de desemprego diminuiu de 5 para 4,9 por cento. Ela é calculada com base em uma pesquisa diferente da usada para medir a criação de postos de trabalho.

O Federal Reserve reduziu a taxa de juros novamente nesta semana e o governo Bush discute com o Congresso um plano de estímulo fiscal para tentar colocar mais dinheiro nas mãos dos consumidores. Mas analistas dizem que pode ser preciso tomar novas medidas para tentar evitar que a economia atole.

Boris Schlossberg, estrategista de câmbio da DailyFX.com, em Nova York, disse que o número total de empregos “mostra que a economia está virtualmente parada.”

“É um dado muito negativo em uma perspectiva de longo prazo porque o Fed claramente terá que continuar cortando os juros”, acrescentou. Juros ainda mais baixos nos Estados Unidos podem colocar mais pressão de queda sobre o dólar.

O setor manufatureiro cortou 28 mil empregos em janeiro, 19o mês seguido de contração, e o número de vagas no setor de construção encolheu em 27 mil. Segundo o departamento, o setor de construção enxugou 284 mil empregos desde o pico em setembro de 2006, refletindo principalmente o contínuo declínio na construção de moradias.

Após se manter estável por seis meses, a média de horas semanais trabalhadas caiu para de 33,8 para 33,7 em janeiro --mais um sinal de fraqueza no mercado de trabalho.

O setor privado criou mil empregos em janeiro, ma 18 mil postos de trabalho no governo foram fechados.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below