Goldman prevê prejuízos para Citigroup e Merrill no 1o trimestre

terça-feira, 1 de abril de 2008 13:44 BRT
 

Por Sweta Singh

BANGALORE, Índia (Reuters) - O Goldman Sachs informou que vê prejuízos significativos para Citigroup e Merrill Lynch no primeiro trimestre como consequência de consideráveis baixas contábeis sofridas por ambas as instituições em meio a uma deterioração dos mercados de crédito e ações.

"Se nossas projeções estão corretas, é provável que essas instituições precisem levantar capital adicional nos próximos meses via ofertas de ações, vendas de ativos e/ou reduções de dividendos", escreveu o analista William Tanona em nota a clientes.

Os bancos de investimentos nos Estados Unidos continuam sob pressão por exposição a títulos de alto risco e a créditos duvidosos em um momento de redução do ritmo da economia.

O setor financeiro global está buscando aumento de capital depois de ter sofrido mais de 200 bilhões de dólares em perdas por conta de investimentos vinculados a hipotecas de alto risco e outros ativos.

Pelo terceiro trimestre consecutivo, Tanona está esperando que baixas contábeis em títulos vinculados a ativos (ABS) e obrigações colateralizadas de dívida (CDO) sejam a força motora por trás de prejuízos trimestrais tanto no Citigroup quanto no Merill Lynch.

O analista prevê cerca de 12 bilhões de dólares em baixas contábeis para o Citigroup e espera que o Merrill sofra um ajuste adicional de 2,5 bilhões de dólares no valor de swaps de crédito (CDS) e em obrigações colateralizadas de dívida.

Para o Merrill o analista prevê prejuízo de 2,45 dólares por ação no primeiro trimestre ante visão anterior de lucro de 0,25 centavos de dólar. Para o Citigroup a previsão é de perda de 1,55 dólar por ação ante estimativa prévia de prejuízo de 1 dólar por ação.