Crise de crédito faz UBS registrar perdas de US$3,4 bilhões

segunda-feira, 1 de outubro de 2007 08:12 BRT
 

Por Mike Peacock

LONDRES (Reuters) - Os bancos suíços UBS e o Credit Suisse juntaram-se nesta segunda-feira ao grupo de vítimas da crise de crédito global, o que gerou novas preocupações sobre a profundidade das turbulências nos mercados de crédito.

O UBS revelou perdas de 3,4 bilhões de dólares, geradas principalmente por ativos ligados ao setor de empréstimos imobiliários de alto risco dos Estados Unidos, afastou importantes executivos e cortou postos de trabalho.

Enquanto isso, o Credit Suisse informou que seus resultados sofrerão "impacto adverso" por conta da crise, mas ainda assim vai manter lucratividade no terceiro trimestre.

Os spreads no mercado de crédito europeu aumentaram depois que o UBS revelou suas perdas, o que sustentou preocupações sobre o aperto no mercado de financiamento.

"Definitivamente isso serve de combustível para as atuais preocupações nos mercados. Os spreads de crédito estão se ampliando de novo e o mercado interbancário segue muito tenso", afirmou Valerie Plagnol, estrategista-chefe da CM-CIC Securities, em Paris.

O UBS, maior administrador de fundos do mundo, informou que a baixa contábil de 4 bilhões de francos suíços (3,42 bilhões de dólares) vai gerar um prejuízo no terceiro trimestre de até 800 milhões de francos (683 milhões de dólares), o primeiro prejuízo trimestral em nove anos.

"O momento crítico será os próximos seis meses", disse o presidente-executivo, Marcel Rohner, a jornalistas, depois que a instituição cortou 1.500 empregos na unidade de banco de investimento.