Em Salvador, disputa pelo apoio de Lula pode parar na Justiça

terça-feira, 1 de julho de 2008 15:12 BRT
 

Por José de Jesus Barreto

SALVADOR (Reuters) - Encerradas as convenções e definidas as candidaturas, uma tendência na disputa pela prefeitura da capital baiana ficou bem clara: a campanha será federalizada como nunca e a disputa pelo apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, bem como o uso de sua imagem, já conflagra os principais concorrentes.

Mal oficializou seu nome ao lado da vice Lídice da Mata (PSB) para encabeçar a chapa da aliança de esquerda "Salvador, Bahia, Brasil", o deputado Walter Pinheiro (PT) ameaçou entrar na Justiça contra o PMDB para garantir a exclusividade no direito de usar as imagens do presidente Lula e do governador Jaques Wagner (PT) na campanha.

"Vamos, se necessário, adotar medidas judiciais para preservar aquilo que é a lógica da política", argumentou o candidato petista.

Na convenção e até na propaganda televisiva de obras realizadas na cidade pelo município, o PMDB do atual prefeito João Henrique Carneiro, que busca a reeleição com o aval explícito do ministro Geddel Vieira Lima, tem usado fotos e imagens de Lula ao lado do prefeito, sem cerimônias.

"Isso parece propaganda de bacalhau", atacou Pinheiro, "mas o povo não é bobo".

As peças de campanha apresentadas na convenção peemedebista têm letras e cores que lembram a logomarca do governo federal e o slogan da chapa é bem sugestivo "Força do Brasil em Salvador". O ministro Geddel ironiza as ameaças do PT: "Eles não podem querer que o presidente fique contra um partido da base e contra mim, que sou seu ministro".

PSDB e DEM

Ao PSDB, adversário no âmbito nacional do governo Lula, a federalização da campanha não interessa. O partido não possui ministros em Brasília, mas o candidato, o ex-prefeito Antonio Imbassahy, ganhou o declarado apoio do governador Jaques Wagner, que foi à convenção tucana agradecer os votos recebidos em 2006 e disse que ficaria feliz com a vitória de Imbassahy.   Continuação...