Lula admite que crise prolongada nos EUA pode afetar Brasil

terça-feira, 1 de abril de 2008 15:04 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu nesta terça-feira que a crise na economia norte-americana poderá afetar o Brasil caso se transforme numa recessão prolongada.

Em discurso na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Palácio do Planalto, Lula falou em tom mais grave sobre a crise dos EUA, que levou o Tesouro norte-americano a reformar o sistema financeiro do país, na maior intervenção desde a crise de 1929.

"Sabemos que se uma recessão prolongada acontecer nos EUA, pode ter reflexo na economia mundial, e certamente o Brasil não estará imune", admitiu Lula, que até então vinha enfocando seus discursos nas possibilidades de o Brasil escapar ileso à crise.

Segundo o presidente, a crise dos EUA preocupa todas as pessoas de bom senso, mas ainda é difícil ter a dimensão exata de seu tamanho e dos impactos que poderá ter.

Lula comparou os desdobramentos da crise norte-americana a uma CPI. "É como se fosse uma CPI, todo dia aparece uma notícia, todo dia aparece uma denúncia, ainda não temos o quadro montado da crise americana."

O presidente disse aos 13 ministros e 90 líderes da sociedade que o Brasil se encontra em situação de menor vulnerabilidade do que no passado, mas acompanhando a crise dos EUA a cada momento.

A nova política industrial que o governo prepara, e que pode ajudar o país a enfrentar a crise, poderá ser lançada dentro de 10 a 15 dias, contou Lula.

 
<p>O presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva fala durante confer&ecirc;ncia em Recife, na u'tima quinta-feira. Lula reconheceu nesta ter&ccedil;a-feira que a crise na economia norte-americana poder&aacute; afetar o Brasil caso se transforme numa recess&atilde;o prolongada. Photo by Jamil Bittar</p>