EUA dizem que 220 membros do Talibã foram mortos n Afeganistão

segunda-feira, 1 de setembro de 2008 09:19 BRT
 

Por Sayed Salahuddin

KABUL (Reuters) - Tropas afegãs e da coalizão liderada pelos Estados Unidos mataram mais de 200 suspeitos de militar pelo Talibã em uma operação no sul do Afeganistão, na semana passada, disse o Exército dos Estados Unidos na segunda-feira. É o maior número de mortes entre insurgentes nos últimos tempos.

Vários moradores locais disseram a um repórter da Reuters, por telefone, que mais de 70 civis foram mortos pelas forças estrangeiras em ataques aéreos no distrito de Sangin, na província de Helmand.

"Boa parte da operação foi encoberta. As tropas mataram mais de 220 militantes", disse o porta-voz do Exército dos Estados Unidos, Nathan Perry.

Ele disse não saber de nenhum civil morto.

A violência no Afeganistão aumentou neste ano para seu pior nível. É o período mais sangrento desde a queda do Talibã em 2001. Os ânimos têm esquentado com a alta de mortes de civis.

A operação de quatro dias em Helmand foi lançada depois que os militantes atacaram um comboio militar que carregava equipamentos para um barragem na área de Kajaki.

"As Forças de Segurança Nacional e as forças da coalizão foram atacadas repetidamente com armas de pequeno porte e armas pesadas, durante vários combates", disse um comunicado do Exército norte-americano.

"Os soldados responderam com armas de pequeno porte, armas pesadas e apoio aéreo, eliminando a ameaça dos militantes".

Não houve baixas entre militares nas lutas nos distritos de Sangin e Kajaki, segundo Perry.

O Talibã não foi encontrado para comentar, o que torna difícil saber quão grande é o prejuízo causado pelas 220 mortes. No passado, o grupo acusou as forças estrangeiras de informar números exagerados de mortos.