STF espera providências sobre grampos pela "gravidade dos fatos"

segunda-feira, 1 de setembro de 2008 18:15 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na segunda-feira aguardar as providências a serem tomadas pelo Executivo para então comentar as denúncias de que o presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, teve ligações telefônicas interceptadas.

Reportagem da revista Veja acusa a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) de grampear o presidente do STF, ministros do governo Luiz Inácio Lula da Silva, políticos do governo e da oposição, com base em informações de um servidor anônimo da agência.

Por meio de seu porta-voz, o STF informou que o conselho de ministros "decidiu aguardar as providências exigidas pela gravidade dos fatos".

A decisão foi tomada em uma reunião que durou pouco mais de uma hora, da qual participaram 10 dos 11 integrantes do Supremo. A ministra Carmen Lúcia está em Belo Horizonte por motivos pessoais, mas apoiou os colegas por telefone.

Pela manhã, Mendes encontrou-se no Palácio do Planalto com o presidente Lula e os ministros Tarso Genro (Justiça), Nelson Jobim (Defesa), Jorge Félix (Segurança Institucional) e Franklin Martins (Comunicação Social) para tratar do assunto. (Reportagem de Fernando Exman)