CÂMBIO-Dólar começa julho em alta por volatilidade externa

terça-feira, 1 de julho de 2008 16:14 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 1o de julho (Reuters) - A cautela provocada pela instabilidade no exterior fez o dólar subir nesta terça-feira, devolvendo a moeda norte-americana para o nível de 1,60 real.

A divisa BRBY fechou em alta de 0,50 por cento, a 1,605 real. No ano, porém, a queda ainda é de 9,68 por cento.

O mês de julho começou com bolsas em queda e aumento da aversão ao risco em todo o mundo. Entre os principais motivos de preocupação estão o petróleo e a saúde do sistema financeiro, que, após um ano de crise, ainda registra prejuízos bilionários em ativos mais arriscados.

"O mercado procurou fazer um hedge (proteção)", disse Milton Mota, operador de câmbio da SLW Corretora. Segundo ele, o dólar ficou "na dependência do exterior."

As bolsas norte-americanas só se recuperaram no final do dia, impulsionados pelas ações da fabricante de automóveis General Motors (GM.N: Cotações).

Isso tirou um pouco da pressão do dólar e do risco Brasil 11EMJ, que passou a subir apenas 1 ponto-básicos. A Bolsa de Valores de São Paulo .BVSP, porém, ainda caía mais de 2 por cento no fim da tarde.

Mota comentou que o começo do mês, sem a pressão da disputa em torno do vencimento dos contratos futuros, facilitou a alta do dólar ao reduzir o interesse dos agentes na queda da moeda dos EUA.

Muitos investidores, como os estrangeiros, carregam posições vendidas em derivativos cambiais na moeda norte-americana --o que representa uma aposta na queda do dólar ante o real.

O Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista no meio da sessão. Foi aceita uma proposta, segundo um operador, com taxa de corte a 1,6042 real.

(Edição de Cláudia Pires)